Buscar

Heleno e Ramagem na CCAI para explicarem suposta interferência na investigação das “rachadinhas”


Foto: reprodução

O líder da Minoria, deputado José Guimarães (PT-CE), protocolou na Câmara requerimento pedindo a convocado o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno Ribeiro Pereira, para explicar na Comissão Mista de Controle das Atividades de Inteligência (CCAI) o suposto envolvimento e interferência do GSI na investigação do caso das chamadas “rachadinhas” contra o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ). Guimarães pede também que o diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Alexandre Ramagem, seja convidado para falar do envolvimento da Abin no mesmo caso.


O requerimento do líder da Minoria tem como base reportagem da revista Época, que revelou uma reunião do general Heleno e do Ramagem com o presidente da República e os advogados de seu filho, Flávio Bolsonaro, em 25 de agosto. Segundo a revista, o motivo do encontro omitido das agendas oficiais foi a estratégia de defesa de Flávio no caso das “rachadinhas” – suposto esquema de desvio de dinheiro operado por Fabrício Queiroz no gabinete do “Zero Um”, quando ele ainda era deputado estadual pelo Rio de Janeiro.


A publicação denunciou que a defesa do senador teria pedido ajuda ao ministro do GSI e ao diretor da Abin, para encontrar indícios de irregularidades na produção dos relatórios do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), os mesmos que identificaram as movimentações financeiras suspeitas na conta de Queiroz e que conectaram o nome de Flávio Bolsonaro às irregularidades.


Para Guimarães, que é membro da CCAI, o episódio que veio à tona pela imprensa mostra que houve “tentativa de apropriação dos órgãos de Estado para fins particulares do filho de Bolsonaro”. “A gravidade do caso pode, inclusive, engajar a responsabilidade do chefe do Poder Executivo”, frisa o deputado no documento que foi protocolado nesta terça (27).

Confira o texto do Requerimento 14/2020 na íntegra: https://bit.ly/req14-2020


Fonte: PT na Câmara