Buscar

Incra e Fiocruz firmam acordo para incentivar pesquisas


Entre as medidas previstas estão o aumento da produção de plantas medicinais e fitoterápicas Divulgação/Governo do Espírito Santo

Para ampliar e incentivar pesquisas técnico-científicas e o desenvolvimento de tecnologias no uso sustentável da biodiversidade, o Instituto de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) firmaram um acordo de cooperação técnica na terça-feira (6). Entre avanços previstos estão o aumento da produção de plantas medicinais e fitoterápicas, a estruturação de arranjos produtivos – para aumentar a geração de empregos – e a implementação do Programa Nacional de Redução de Agrotóxicos (Pronara).

“É um momento muito importante, pois é uma parceria que reafirma nosso compromisso no MDA (Ministério do Desenvolvimento Agrário). Essa é uma pesquisa que é feita em prol do povo, para o bem da população. Queremos produzir alimentos saudáveis. Temos de ser claros quanto à questão do uso abusivo de agrotóxicos e sementes transgênicas”, observou o ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias, após assinar o documento no Palácio Tiradentes, sede da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

A presidente do Incra, Maria Lúcia Falcón, reafirmou a fala do ministro e complementou “que a expectativa é que o acordo traga benefícios aos assentamentos e a seus moradores”.

Segundo o presidente da Fiocruz, Paulo Gadelha, a fundação tem experiência no estudo e no combate ao uso de veneno na agricultura. “A Fiocruz tem um histórico consolidado de trabalho, com temas vinculados à agroecologia e à questão da saúde. O modo de produção agrário pode ser colocado como fator extremamente nocivo à saúde, como é o caso do uso de agrotóxicos”, disse Gadelha.

Fonte: Ministério do Desenvolvimento Agrário

#ambiente