Buscar

Comissão Especial do Setor Primário é instalada na Assembleia Legislativa do Amazonas


Nesta quarta- feira (17) ocorreu na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), a instalação da Comissão Especial (CE), no âmbito da Comissão de Geodiversidade, Recursos Hídricos, Minas, Gás, Energia e Saneamento da (Aleam) presidida pelo deputado estadual Sinésio Campos (PT), no prazo de sessenta dias, prorrogáveis por igual período.

A Comissão Especial tem o objetivo de colher dados, informações, debater, elaborar propostas e sugestões, e trabalhar a viabilidade e implementação de projetos à empresa AMAGGI, aos pequenos e médios produtores rurais, órgãos e entidades públicas e civis interessados, objetivando a utilização do farelo de soja, casca de soja, milho, caroço de algodão, farelo (cuim) de arroz e fertilizantes em atividades agropecuárias no estado do Amazonas.

A instalação da Comissão surgiu devido Vereadores e trabalhadores da produção rural do município de Itacoatiara, procurarem o deputado Sinésio solicitando ajuda e alegando a recusa do grupo AMAGGI, uma empresa que trabalha com a produção agrícola de soja, milho e algodão contendo um terminal graneleiro situado no Município de Itacoatiara, na venda de farelo e da casca de soja para os produtores rurais de Itacoatiara e do Amazonas.

Segundo o deputado a Comissão está diante de dois desafios em ambos os lados da oferta e da procura, em razão do preço da ração que é um fator limitante na estrutura dos custos de produção. De um lado, esse polo produtivo enfrenta severo comprometimento em sua capacidade de crescimento devido à pequena produção de soja e milho em nosso Estado, e na outra vertente é o alto custo dos insumos básicos, quais sejam, o milho, e o farelo de soja, que são importados do Estado do Mato Grosso.

O grupo que compõe a Comissão Especial ressalta ainda que existe uma demanda reprimida de mais de 20 mil (vinte mil) pequenos criadores e produtores Amazonenses, por milho, soja e rejeitos do processamento da soja, insumos básicos de fundamental importância, como componentes da ração na alimentação desses animais, cujo os produtos e subprodutos são movimentados no terminal graneleiro do Grupo AMAGGI, situado em Itacoatiara.

Encaminhamentos

Dia 25/07 ocorre uma reunião com membros da Comissão Especial para formatar as propostas que serão passadas aos Diretores do Grupo AMAGGI dia 29/07, em uma reunião oficial com a equipe de diretores que virão de Mato Grosso. A Comissão irá propor alternativas de desenvolvimento econômico aos produtores e criadores do Estado do Amazonas que necessitam da venda desses insumos que potencializam a cadeia produtiva do setor. A cobrança ao grupo AMAGGI na venda de insumos essenciais para ás atividades criatória da pecuária e piscicultura Amazonense também foi mencionada pelos representes dos órgãos do Setor Primário presentes da reunião.

“A Comissão está sendo oficialmente instalada hoje e já confirmamos uma agenda com os diretores do Grupo AMAGGI que virão do Mato Grosso para participar de uma grande reunião com os órgãos que compõem a Comissão Especial e principalmente, contará com a presença de agricultores e pecuaristas que são hoje os que mais estão sofrendo sem insumos para seus animais como a ração e a casquinha de soja”, explicou Sinésio.

O Presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Amazonas (Faea), Muni Lourenço Silva Júnior, relatou que o setor primário do Estado do Amazonas pretende-se incrementar o adensamento da cadeia produtiva do setor, notadamente nas atividades que se destacam com grande potencial como a produção de bovinos, caprinos, suínos, ovinos, aves e peixes.

“É de extrema importância a potencialização do Setor Primário no Amazonas. Agradecemos a iniciativa do deputado Sinésio e o objetivo agora é que esse grupo possa consolidar essas informações dia 25 para dia 29 apresentar uma boa proposta ao Diretores do Grupo AMAGGI como os preços dos insumos que são vendidos no Amazonas”, finalizou Munir.

Fonte: Aleam

#Aleam