Buscar

Embrapa assina acordo para pesquisas sobre aproveitamento de resíduos de rochas


O presidente da Federação das Indústrias do ES, Leonardo de Castro; o presidente da Embrapa, Sebastião Barbosa; o governador do ES, Renato Casagrande; e o presidente do Sindirochas, Tales Machado - Foto: Jorge Duarte

O presidente da Embrapa, Sebastião Barbosa, assinou, nesta terça-feira, 12, protocolo de intenções para o desenvolvimento de pesquisas e tecnologias que permitam o aproveitamento de resíduos de rochas ornamentais na agropecuária. O acordo envolve a Federação das Indústrias do Estado do Espírito Santo (Findes) e o Sindicato da Indústria de Rochas Ornamentais, Cal e Calcários do Espírito Santo (Sindirochas). A assinatura ocorreu durante a abertura da Vitória Stone Fair, que acontece em Serra (ES) até sexta-feira, 15.

"Queremos que a ciência esteja disponível com os seus recursos para trabalhar em benefício do setor, que certamente trará benefícios significativos para a agropecuária", disse o presidente, ressaltando que o uso de matérias primas hoje descartadas permitiria aumentar a oferta de alternativas para reduzir os custos de produção. Segundo ele, a Empresa tem todo interesse em compartilhar conhecimento e somar esforços com as entidades estaduais e a Incaper.

Para presidente do Sindirochas, Tales Machado, conhecer o trabalho desenvolvido pelos pesquisadores da Embrapa tem sido uma surpresa. "Estamos muito otimistas e com esperança de que essa iniciativa, a partir de agora, vai fortalecer e fazer toda a diferença", comentou.

Também presente à solenidade, o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, destacou a importância da assinatura do protocolo de intenções para o desenvolvimento do setor de rochas da região. Para ele, a presença da Embrapa no Estado é fundamental e, para isso, colocou a Incaper à disposição para ajudar. Também explicou acreditar na parceria que estava se estabelecendo.

O Brasil é o quarto maior produtor mundial de pedras naturais. A Embrapa atua em pesquisas com rochas moídas in natura, chamadas “pó de rocha”. A intenção é utilizá-las para o manejo da fertilidade do solo pela recomposição de minerais e aumento da eficiência no uso de nutrientes pelas plantas.

Potencial de uso

O pesquisador Eder Martins, da Embrapa Cerrados (Planaltina, DF), participou do lançamento. Ele explica que os chamados remineralizadores de solos, além de disponibilizar novos micronutrientes, aumentam a eficiência de uso de vários outros. Eder Martins participa da feira discutindo o potencial de aproveitamento de resíduos de mineração de rochas ornamentais na agricultura. Ele tem discutido particularmente técnicas de manejo como rochagem e produção de mineralizadores agrícolas.

Como parte do acordo de cooperação, Findes e Sindirochas vão disponibilizar informações e dados técnicos para a pesquisa da Embrapa e acompanhar o desenvolvimento do trabalho para fornecer todo o suporte possível.

Existem hoje, no Brasil, oito polos de produção de rochas ornamentais: Espírito Santo, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia, Paraíba e Ceará.

A Feira Vitória Stone Fair está na 47ª edição e é uma das mais importantes do mundo no setor. São mais de 300 expositores e o público pode ver mais de 1,2 mil tipos de rochas, além de máquinas, insumos e equipamentos. A expectativa de publico é de 20 mil pessoas, de pelo menos 47 países.

Estavam presentes à assinatura do acordo o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande; o presidente da Federação das Indústrias do Espírito Santo, Leo de Castro; o presidente do Sindirocha, Tales Machado; o representante da bancada federal no Estado, deputado Evair Viera de Melo; o diretor superintendente do Sebrae/ES, Pedro Gilson Rigo; o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Rochas Ornamentais (Abirochas), Reinaldo Dantas Sampaio; o secretário de Geologia, Mineração e Transformação Mineral do Ministério de Minas e Energia, Alexandre Vidigal de Oliveira; os diretores da Agência Nacional de Mineração, Tomás Antônio Albuquerque de Paula Pessoa Filho, Débora Toci Puccini, Eduardo Araújo de Souza Leão e Tasso Mendonça Júnior; o gerente regional do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), Renato Mota de Oliveira; o presidente da Companhia de Pesquisas de Recursos Minerais (CPRM), Esteves Pedro Colnago; o presidente da Federação das Indústrias do Espírito Santo, Leonardo de Castro e o presidente do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), Antonio Carlos Machado.

Visita ao Incaper

Durante a tarde, antes da participação no evento no município de Serra, acompanhado pelo deputado Evair de Melo, o presidente da Embrapa esteve na Unidade de Referência em Agroecologia do Incaper. As pesquisas são desenvolvidas há três décadas na região central serrana do Espírito Santo. É uma área de montanhas, com 950 metros de altitude, a 94 km de Vitória, e referência nacional em agroecologia.

Sebastião Barbosa conheceu pesquisas em melhoramento genético para espécies para cultivo orgânico, área de plantio direto na palha, manejo de vegetação, controle fitossanitário e controle biológico, trabalhos de reciclagem de resíduos e compostagem, e de plantio direto. O objetivo das pesquisas na unidade é gerar tecnologia apropriada para o produtor orgânico melhorar a produção.

Fonte: Embrapa/Foto (Crédito: Jorge Duarte)

#resíduosderochas