Secretário de Saúde do Pará esclarece medidas de combate ao coronavírus

2-May-2020

Os deputados da Comissão de Acompanhamento da Situação Fiscal e a Execução Orçamentária e Financeira das Medidas relacionadas à Pandemia do Coronavírus – COVID-19 fizeram uma reunião por videoconferência na tarde desta quinta-feira (30/04) com o secretário estadual de saúde, Alberto Beltrame, e o secretário estadual de fazenda, René Sousa Jr.

 

Participaram da reunião 16 deputados que puderam detalhar aos secretários as principais dúvidas sobre como está acontecendo o combate ao coronavírus e o atendimento às pessoas contaminadas. Durante mais de uma hora, os questionamentos foram apresentados: como vai ficar o fluxo de atendimentos no hospital Abelardo Santos, transformado em hospital portas abertas para pacientes com COVID-19; a expectativa pela chegada dos aparelhos respiradores para o hospital de campanha do Hangar; abastecimento e distribuição de medicamentos para os municípios do interior; previsão de aumento do número de leitos de UTI no Estado e construção de novos hospitais de campanha; subnotificação de casos e realização de testes para o COVID-19 foram alguns dos assuntos levantados pelos deputados.


O secretário de saúde fez um retrospecto das estratégias adotadas pelo Governo do Estado desde o início, com as mudanças feitas para atender a evolução da pandemia, considerando toda a rede de assistência disponível no Estado e municípios. "A distribuição dos recursos para a pandemia foi feita nas três esferas de gestão. O estado recebeu cerca de 50 milhões e os municípios ficaram com cerca de 105 milhões de reais. Mas o que vemos hoje é que a quase totalidade dos leitos de UTI disponíveis estão a cargo do Estado", explicou Alberto Beltrame. "Mas é importante destacar que os municípios não dependem do Estado para fazer ou aditar convênios com hospitais privados de suas regiões para a utilização das UTIs disponíveis. E é disso que precisamos, colocar mais UTIs para desafogar a rede de UPAs, Pronto Socorros e Policlínica", avaliou Beltrame.


Ele lembrou que o Pará depende da chegada dos 400 respiradores adquiridos da China em fevereiro. "O prazo inicial era 15 de abril. Agora, a previsão de chegada desses equipamentos é 3 de maio para os 200 primeiros e 6 de maio para os outros 200". Mas o secretário admitiu que há chances de mais atrasos. "Estamos apreensivos com isso, a operação logística é difícil. O governo do Pará contratou um frete exclusivo de Xanguai até Belém, para não correr o risco de parar em algum país europeu ou até mesmo outra cidade no Brasil e ter os equipamentos confiscados, como já aconteceu com outras aquisições feitas por outros estados", explicou.


Ele também negou as fakenews com comparações de valores pagos pelos equipamentos. "Compramos respiradores por um valor de 126 mil reais, cada. Em Minas Gerais, o governo comprou equipamentos mais baratos, mas não são similares. São bem inferiores aos do Pará e não servem para montar UTIs. Essa diferença é o que importa", explicou.
Sobre os medicamentos utilizados no tratamento dos doentes, os deputados cobraram muito o secretário por causa das quantidades distribuídas para os municípios, consideradas insuficientes. "Infelizmente, estamos com dificuldades em conseguir fornecedores com capacidade de produção e entrega. Fizemos uma primeira compra de 90 mil comprimidos de azitromicina e hidroxicloroquina. Depois, compramos mais 200 mil, dos quais apenas 30 mil foram entregues. E já temos mais 1 milhão encomendados, porém os prazos de entrega são muito elásticos e não temos o que fazer quanto a isso", lamentou Alberto Beltrame.

 

Mas ele lembrou novamente que as prefeituras não devem esperar apenas pelo Estado, "esses são remédios de atenção básica que os municípios podem comprar. Receberam recursos para isso".


A demora em receber materiais e insumos para o combate do coronavírus se estende também aos testes para COVID-19. "Por isso, temos uma subnotificação enorme, como acontece no Brasil e no mundo", avaliou o secretário.
 

Beltrame garantiu aos deputados que mais respiradores para montagem de leitos de UTIs serão enviados para o interior, assim que os equipamentos estiverem disponíveis.
Após mais de 3 horas de reunião, o secretário Alberto Beltrame se comprometeu a enviar mais esclarecimentos aos deputados sobre o fluxo de atendimentos no interior.


Participaram da reunião os deputados Iran Lima, Michele Begot, Victor Dias, Eliel Faustino, Fábio Freitas, Thiago Araújo, Vanderlan Quaresma, Heloísa Guimarães, Gustavo Sefer, Paula Gomes, Ana Cunha, Jaques Neves, Dilvanda Faro, Toni Cunha, Dr. Galileu e Martinho Carmona.

 

Fonte: Alepa

Please reload

Leia também...
Please reload

Posts Relacionados

© 2020 por Rede Mundo

  • Twitter App Icon
  • Facebook App Icon
  • Google+ App Icon