Inpa e outras instituições brasileiras procuram ampliar cooperação com a Europa

27-Oct-2019

Em viagem oficial à Europa (Alemanha e Londres/Inglaterra), a Diretora do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTIC), Antonia Franco, buscou junto com outras instituições brasileiras ampliar as cooperações institucionais e o apoiopara intercâmbio e financiamento de bolsas para alunos e pesquisadores. O objetivo é incrementar a produção científica.

 

Dividida em duas etapas, a viagem para a Alemanha ocorreu de 09 a 18 de setembro a convite do Serviço Alemão de Intercâmbio (DAAD), organização que oferece bolsas de estudos para alemães e estrangeiros para ensino e pesquisa, dentro e fora da Alemanha. Reitores, diretores e representantes de dez universidades e institutos compuseram a delegação da Amazônia brasileira que teve como finalidade fortificar o programa do DAAD na região Norte do Brasil.

 

“O mais interessante é que foi feita a assinatura de um Acordo com as diversas FAPs [Fundações de Amparo à Pesquisa]para que as chamadas do DAAD, que normalmente ocorrem via Capes, passem a ocorrer também por intermédio das FAP´s”, destacou Franco. “Isso é importante porque direciona mais as chamadas e auxilia, até com relação a informação, alunos e pesquisadores que têm interesse nesses convênios com a Alemanha”, explicou Franco, lembrando que o Inpa tem várias pessoas que já participaram desses programas.

 

Um fruto do Acordo do DAAD com o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap) é o que possibilita o financiamento conjunto de doutorandos com bolsas de 15 das fundações que integram o Conselho, incluindo a Fapeam. O novo acordo permite que esses bolsistas se candidatem ao programa do DAAD de auxílio para estadias de pesquisa para doutorandos brasileiros que possuem bolsa da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) no Brasil. O financiamento é complementar à bolsa nacional para viabilizar parte da pesquisa da tese na Alemanha.

 

Na Alemanha, a comitiva visitou a sede do DAAD em Bonn - onde cada instituição fez uma apresentação institucional de suas ações e o Inpa em particular entregou um documento se colocando à disposição e reforçando o interesse em ter alunos nos programas do DAAD. O grupo também foi conhecer universidades e outras instituições em Bonn, Berlim e Stuttgart. A delegação foi acompanhada da então diretora do DAAD para o Brasil (Rio), Martina Schulze, que foi transferida para a Colômbia onde a organização alemã está abrindo uma nova sede, e do novo diretor regional da organização alemã no Brasil, Jochen Hellman.

 

Em Berlim, a comitiva participou ainda de um Café com o Parlamento Alemão, de um Encontro com representante da área de CT&I da Embaixada do Brasil na Alemanha e de uma Visita ao Instituto de Estudos de Sustentabilidade Avançada (IASS).No Parlamento Alemão, os dirigentes brasileiros mostraram as necessidades para se aumentar a produção científica nas instituições, sobretudo nas áreas relacionadas ao desenvolvimento sustentável da Amazônia e a conservação dos recursos naturais, que são de interesse global.

 

“Eu aproveitei para mostrar a nossa situação, a necessidade que temos de recursos humanos, concurso público, de maiores investimentos na pesquisa e, naquele momento, de um número maior de bolsas concedidas”, contou Franco. “Isso tudo levou a elaboração do documento entregue para a diretora do DAAD sobre a possibilidade de o Fundo Amazônia disponibilizar recurso não só para Universidades, mas também para os Institutos de pesquisa de modo geral”.

 

A outra etapa da viagem foi em Londres, na Inglaterra, onde aconteceu o Workshop no âmbito do Climate Science for Service Partnership (Workshop WCSSP) nos dias 23 e 24 de setembro. Além de Franco, o pesquisador do Inpa Carlos Alberto Quesada participou do Workshop.

 

O CSSP busca entender melhor as interações entre a Amazônia e o clima global. O programa é formado pela parceria do Inpa, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), pelo lado brasileiro, com um consórcio de diversas instituições e universidades britânicas liderado pelo Serviço Nacional de Meteorologia do Reino Unido (Met Office), e financiado pelo Fundo Newton.

 

Na reunião houve o entendimento de dar continuidade à colaboração científica do programa entre Brasil e Meet Office. O pesquisador do Inpa, Jochen Schongart, será o novo coordenador do CSSP pelo lado brasileiro. Além disso, ressaltou-se a necessidade de ter publicação científica conjunta entre as instituições e não individualizada como vem ocorrendo.

 

Fonte: INPA

Please reload

Posts Relacionados
Leia também...
Please reload

Please reload

© 2019 por Rede Mundo

  • Twitter App Icon
  • Facebook App Icon
  • Google+ App Icon