José Mujica: Tudo o que eu quero é que Lula fique bem

9-Jul-2019

O ex-presidente uruguaio José Mujica (2010 – 2015) está oficialmente afastado da política desde que renunciou ao senado do país portenho por “estar cansado da longa viagem” iniciada desde o início dos anos 70, quando ainda era um jovem líder revolucionário.

 

Ainda assim, o carismático Pepe, como é conhecido, não conseguiu abdicar de suas contundentes posições em defesa da democracia e da estabilidade institucional tão ameaçada em toda a região. E não há causa em que se disponha a defender com tanto afinco – dada a simbologia que carrega – quanto a liberdade do ex-presidente e amigo brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva.

 

Em entrevista publicada pelo portal de notícias argentino Cenital nesta terça (9), o uruguaio voltou a prestar solidariedade a Lula quando perguntado sobre as ameaças aos principais líderes políticos do continente. Pepe, então, relembrou que as perseguições acontecem “desde sempre”.

 

“Tudo o que quero é que Lula fique bem. Porque esta partida não acabou. Nós nunca vamos alcançar o mundo perfeito ou tocar o céu com nossas mãos. Quando nascemos, recebemos uma herança brutal. O que chamamos de civilização não começou conosco, mas com uma longa linhagem de pessoas indígenas que não conhecemos, desde a invenção da roda até a biologia molecular. É a maior coisa do homem. Tentamos dar um pequeno passo, mas a escada não termina conosco”, avaliou Pepe, mantendo o tom otimista que sempre o caracterizou.

 

Na entrevista ao Cenital, Pepe também criticou os avanços de ideais neoliberais e pediu que os campos progressistas pensem em novas maneiras de conduzir o debate frente ao novo cenário político que se instalara no mundo nos últimos anos. “Temos que encontrar outro caminho e essa é uma dívida que temos pela frente. Eu ainda não estou convencido pelo capitalismo (…) Se continuarmos assim, isso vai nos levar a um holocausto ecológico. Eu não sei se podemos segurá-lo”.

 
“Irmão mais velho”

O primeiro encontro de Mujica com amigo no cárcere político ocorreu há pouco mais de um ano, quando o uruguaio ainda era senador em seu país. Em 21 de junho do ano passado, Pepe passou cerca de uma hora com Lula na sede da Polícia Federal em Curitiba e depois falou com os militantes da Vigília. “Considero Lula como um irmão mais velho”, declarou.

Mujica, que tem mantido sua preocupação com os ataques à democracia no Brasil antes mesmo de Lula ser levado à prisão por um crime que jamais cometeu,  afirmou também “que homens e mulheres podem estar presos, mas que as causas nunca estarão. Lula somos todos. Todos os que têm problemas na América Latina.”

 

Fonte: Agência PT de Notícias com informações de Cenital

Please reload

Posts Relacionados
Leia também...
Please reload

Please reload

© 2019 por Rede Mundo

  • Twitter App Icon
  • Facebook App Icon
  • Google+ App Icon