Judô garante duas medalhas para o Brasil na Coreia do Sul

7-Jul-2015

 

O judô é uma das principais esperanças de medalhas do Brasil nas Olimpíadas Universitárias 2015. Nesta terça-feira (7), durante o quinto dia de competições em Gwangju, na Coreia do Sul, Gabriela Chibana, com a prata, e Phelipe Pelim, com o bronze, foram os protagonistas do dia. Os esportes coletivos do País também conquistaram bons resultados no quinto dia de competições.

 

Reunindo diversas potências, como judocas do Japão, China e a atual campeã mundial Urantsetseg Munkhbat, da Mongólia, a categoria até 48 kg viu Gabriela Chibana roubar a cena. Ela venceu quatro lutas: Yao Xiong (China), Jenna Schurr (EUA), Imene Rezzoug (Argélia) e Cristina Budescu (Moldávia) até chegar à final. A medalha de prata veio após ser superada na decisão pela atleta dona da casa, a sul-coreana Bokyeong Jeong.

 

“Foram cinco lutas bem fortes. Na final, eu enfrentei a sul-coreana, que já havia lutado algumas vezes. Ela tem conquistado várias medalhas nas competições internacionais, está bem no ranking mundial para as Olimpíadas. Eu acabei perdendo no começo e não consegui reverter. Mas estou feliz com esta medalha, pelo judô ser bastante competitivo e por ser minha primeira vez aqui na Universíade”, conta a atleta do Centro Universitário São Camilo.

 

Já o bronze de Phelipe Pelim, judoca da UNIP que recebe Bolsa Atleta do Ministério do Esporte, veio após um ippon sobre o mongol Bayarmagnai Dagvadorj. Antes disso, o brasileiro havia vencido Armando Maita (Venezuela); Hui Li (China); e Christos Trikomitis (Chipre).

 

O único revés foi para o russo Albert Oguzov, na segunda rodada. “Foi uma luta muito dura. O atleta que peguei na briga pelo bronze era muito complicado, tinha o mesmo lado que luto. Tivemos uma forte trocação, mas quando vi uma possibilidade de encaixar um golpe fui logo e consegui”, conta Pelim, que revela ainda não ter se dado conta de sua conquista.

 

“Ainda não caiu a ficha de ter ganhado uma nova medalha na Universíade, que é o segundo maior evento do mundo. Estou muito feliz e entusiasmado para buscar a vaga para os Jogos Olímpicos”, complementa.

 

Natação

Na natação, o paulista Henrique Martins continua forte. Responsável pelo primeiro ouro para o Brasil na atual edição da Universíade, o atleta da Unisul garantiu nesta tarde um lugar na decisão dos 100m livre. Ele disputa a final nesta quarta-feira (8).

Futebol, handebol, basquete e vôlei

 

O dia também foi muito bom para o Brasil nos esportes coletivos. Uma substituição aos 46 minutos do primeiro tempo mudou o rumo da partida da seleção masculina de futebol.

 

Após sair perdendo por 1x0 para o Irã, o atacante Pedro Pinheiro entrou em campo e comandou a reação canarinha com três gols no segundo tempo, garantindo a vitória por 5x2. O resultado classificou o Brasil na segunda colocação do Grupo C, atrás do Japão.

 

No handebol, dupla vitória: no feminino a vítima foi o Uruguai, placar de 33x11, com sete gols de Larissa Araújo. No masculino, vitória apertada sobre o Japão por 33x28. O basquete também voltou a vencer. O time masculino não tomou conhecimento da Suíça e aplicou quase 50 pontos de vantagem. O placar final foi 100x57. E, no feminino, vitória tranquila diante de Uganda, 93x59.

 

Resultados (7/7): 

Basquete Masculino: Brasil 100x57 Suiça

Basquete Feminino: Brasil 93x59 Uganda

Futebol Masculino: Brasil 5 x 2 Irã

Handebol Masculino: Brasil 32 x 28 Japão

Handebol Feminino: Brasil 33 x 11 Uruguai

Vôlei Masculino: Brasil 2 x 3 Chile (parciais de: 28/26, 17/25, 15/25, 26/24 e 10/15)

 

Fonte: Ministério do Esporte

Please reload

Posts Relacionados
Leia também...
Please reload

Please reload

© 2019 por Rede Mundo

  • Twitter App Icon
  • Facebook App Icon
  • Google+ App Icon