Buscar

Países das Américas são informados sobre quantidade de vacinas contra COVID-19


Região das Américas precisa imunizar 500 milhões de pessoas para conter a pandemia da COVID-19 Foto | OPAS/OMS

Países das Américas são informados sobre quantidade de vacinas contra COVID-19 que receberão do mecanismo COVAX

O mecanismo COVAX, coalizão liderada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e Gavi para garantir o acesso equitativo às vacinas contra COVID-19, notificou em carta às autoridades de saúde dos países das Américas sobre a alocação de dose estimada para a primeira fase da aplicação da vacina.

  • A informação é da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS).

  • Trinta e seis dos países e territórios participantes do COVAX receberam cartas sobre o número estimado de doses da vacina AstraZeneca que poderão receber entre a segunda quinzena de fevereiro e o segundo trimestre de 2021.

  • O Brasil está incluído.

O mecanismo COVAX, coalizão liderada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e Gavi para garantir o acesso equitativo às vacinas contra COVID-19, notificou em carta às autoridades de saúde dos países das Américas sobre a alocação de dose estimada para a primeira fase da aplicação da vacina. A informação é da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS). Trinta e seis dos países e territórios participantes do COVAX receberam cartas sobre o número estimado de doses da vacina AstraZeneca que poderão receber entre a segunda quinzena de fevereiro e o segundo trimestre de 2021. O Brasil está incluído.

O imunizante da AstraZeneca ainda está em análise pela OMS para aprovação de uso de emergência, o que deve ocorrer nos próximos dias. O número de doses e cronograma de entrega ainda estão sujeitos ao uso emergencial e à capacidade de produção do fabricante, bem como ao estabelecimento de acordos de fornecimento entre os produtores, a OPAS e o UNICEF. De acordo com o comunicado do COVAX, estima-se que cerca de 35,3 milhões de doses chegarão às Américas na primeira etapa.

“Com mais de 45 milhões de casos confirmados e mais de um milhão de mortes, os países e territórios das Américas, especialmente os mais pobres, estão passando por uma crise econômica e social sem precedentes”, disse a Carissa F. Etienne, diretora da OPAS.

O início da entrega de vacinas pelo mecanismo COVAX é uma esperança na luta contra este vírus terrível e a OPAS se orgulha de facilitar um esforço que é urgente para nossa região. - Carissa F. Etienne

Antecipando a entrega das vacinas, os países das Américas que participam do mecanismo COVAX iniciaram o processo de preparação para o recebimento, distribuição e definição de como os imunizantes devem ser utilizados. Diante da comunicação do mecanismo COVAX sobre o início da entrega das primeiras doses de vacinas, os países devem agora garantir que estão prontos para usá-las. A OPAS forneceu assistência técnica durante cada fase de preparação.

Os países e territórios das Américas participantes da COVAX que receberam cartas são Antígua e Barbuda, Argentina, Bahamas, Barbados, Belize, Bermuda, Bolívia, Brasil, Ilhas Virgens Britânicas, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Dominica, República Dominicana , Equador, El Salvador, Granada, Guatemala, Guiana, Haiti, Honduras, Jamaica, México, Montserrat, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Saint Kitts e Nevis, Santa Lúcia, São Vicente e Granadinas, Suriname, Trinidad e Tobago, Uruguai e Venezuela.

Os países participantes do mecanismo COVAX também foram convidados a apresentar propostas para a iniciativa “Primeira Onda”, um programa piloto para receber antecipadamente um número limitado de doses da vacina Pfizer /BioNTech dentro de sua cota alocada. Um total de 72 países de todo o mundo enviaram pedidos, que foram avaliados por um comitê independente com base em critérios de riscos e impacto da pandemia, mortalidade nas últimas semanas, bem como o número de doses disponíveis e a possibilidade do uso imediato.

O comitê selecionou 18 países globalmente, dos quais quatro são da região das Américas: Bolívia, Colômbia, El Salvador e Peru. A soma das doses da vacina Pfizer/BioNTech que esses quatro países receberão será de 377.910 e a previsão é que comecem a chegar em meados de fevereiro, sujeito a acordos de fornecimento entre os fabricantes, OPAS e UNICEF, de acordo com o COVAX.

“A Organização Pan-Americana da Saúde tem acompanhado e prestado o apoio técnico necessário aos estados-membros para apoiá-los em cada fase de sua participação no mecanismo COVAX, além da elaboração de planos nacionais de vacinação para COVID-19, que são indispensáveis para a participação no COVAX”, disse o diretor adjunto da OPAS, o brasileiro Jarbas Barbosa.

O uso dessas vacinas nos permitirá avançar no enfrentamento desta pandemia, mas ainda devemos manter e fortalecer medidas de saúde pública — como uso de máscaras, evitar aglomerações, distanciamento social e lavagens frequentes das mãos — para evitar a transmissão, o aumento de casos e óbitos em decorrência da COVID-19. - Jarbas Barbosa

O Fundo Rotatório da OPAS, junto com o UNICEF, está adquirindo as vacinas do COVAX para os países das Américas.

A região das Américas precisará imunizar aproximadamente 500 milhões de pessoas para conter a pandemia. O mecanismo COVAX é um esforço global para acelerar o acesso equitativo às vacinas contra a COVID-19 e garantir que cheguem a todos aqueles que precisam recebê-las.

A meta é fornecer vacinas para pelo menos 20% da população de cada país participante do mecanismo COVAX para proteção das pessoas mais expostas e sob risco de apresentar formas graves da doença. Na América Latina e no Caribe, 37 países receberão vacinas por meio do mecanismo COVAX. Destes, 27 o farão com financiamento próprio e 10 o farão sem custo devido à condição econômica ou ao tamanho da população.


Fonte: ONU