Buscar

LIT e satélite Amazônia-1 são destaques do tour virtual ao Inpe na Semana Mundial do Espaço


Na manhã da sexta-feira (9), a entidade apresentada aos participantes do Mês Nacional da Ciência, Tecnologia e Inovações (MNCTI) foi o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), unidade de pesquisa vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI). Em pauta, um tour virtual para mostrar a instituição, o Laboratório de Integração e Testes (LIT) e explicar como será o funcionamento do satélite Amazônia-1.

Nas atividades do MNCTI, cada entidade do Ministério realizará um dia inteiro de palestras, oficinas e entrevistas aos internautas, e na abertura das apresentações do Inpe, a instituição convidou Carlos Lino, coordenador de Manufatura e Montagem, Integração e Testes e Adenilson Silva, responsável pelo satélite Amazônia-1.


O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais tem como objetivo produzir ciência e tecnologia nas áreas espacial e do ambiente terrestre, oferecendo produtos e serviços em prol do país. O Laboratório de Integração e Testes do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (LIT/INPE) possui um programa específico para atender as necessidades de treinamento dos profissionais em atividades das áreas de testes industriais e aeroespaciais. E o Amazônia-1 é um satélite de observação da Terra – 100% nacional – que seria lançado este ano, porém, devido à pandemia da covid-19, foi adiado para 2021.

Durante a sua apresentação, Adenilson Silva destacou a importância do Programa Amazônia-1, por ser um marco no processo de desenvolvimento de satélites. “A gente começou o Amazônia-1 há uma década com uma folha em branco, e fomos trabalhando e ganhando maturidade; estamos terminando a campanha de testes aqui no Brasil e depois vamos para a campanha de lançamento, que também é algo novo para nós”, disse.


Embora não seja o primeiro satélite brasileiro a ser testado, será a primeira vez que que serão realizados integração, testes e lançamento de um satélite 100% brasileiro desse nível de complexidade.


O programa conta com a maior parte dos investimentos provenientes da indústria nacional, o que reflete em capacidade de gerar empregos e alto valor agregado para a sociedade.

Carlos Lino falou sobre a relevância do LIT, que também já foi utilizado por outros países que não tinham condições de desenvolverem os seus próprios satélites, e citou a Argentina, que teve uma série de satélites testados no Laboratório – o único com essa capacidade no país. “Nós temos os maiores meios, tanto em dimensões físicas como em capacidade de testes”, disse.


“Ao invés de realizar ensaios no exterior, o que onera muito, esses testes podem ser feitos no Brasil. Isso traz uma grande vantagem para a indústria nacional em algo que é determinante – atender padrões internacionais de qualidade e segurança para poder exportar”, apontou Adenilson Silva, responsável pelo satélite Amazônia-1.


Mês Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovações

O MNCTI foi instituído pelo decreto nº 10.497/2020, que atribui a coordenação do evento ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações. Ao longo de outubro, o canal do YouTube do MCTI traz centenas de horas de conteúdo online para mobilizar e levar a ciência, tecnologia e inovações mais perto do dia a dia da população.

A cada dia, uma organização vinculada ao MCTI leva ao ar uma série de palestras, oficinas e conteúdos que podem ser acompanhados em www.youtube.com/ascommcti.


Confira também a programação completa do Mês em www.snct.mcti.gov.br.


Fonte: MCTI