top of page
Buscar

Deputado Sinésio Campos participa do seminário internacional ‘Desenvolve Amazônia: Fronteira e Bioeconomia na Amazônia Legal’

Foto: Aleam

Nesta quinta-feira (21/3), ocorreu na sede da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) a solenidade de abertura do seminário internacional “Desenvolve Amazônia: Fronteira e Bioeconomia na Amazônia Legal”, promovido pelo Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional (MIDR), que contou com a presença do ministro do Desenvolvimento Regional,Waldez Góes, do governador do Amazonas, Wilson Lima, e do superintendente da Suframa, Bosco Saraiva. O deputado Sinésio Campos (PT) representou a Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) na solenidade. Durante o evento, o parlamentar também defendeu a recuperação da BR-319, visando integrar de forma efetiva o Amazonas ao resto do país.


O projeto do seminário é defendido pelo deputado Sinésio Campos desde 2007, por reduzir a dependência do canal do Panamá ao utilizar rota alternativa para os produtos que vêm da Ásia. A mercadoria é transportada por navio ou balsa da Ásia até Manta, no Equador, e depois segue por rodovias até Providência. Em seguida, afirma o parlamentar, balsas levam a carga até Letícia, na Colômbia, e finalmente para o Estado do Amazonas, via Tabatinga. A rota da Ásia à Manaus pelo Canal do Panamá – que é utilizada atualmente – dura de 41 a 60 dias, enquanto a rota via Manta tem duração de 31 a 35 dias, e um custo menor.


“Essa rota encurta o trajeto em até 25 dias. O presidente Lula já determinou a execução, junto com o ministro Waldez e a ministra do Planejamento, Simone Tebet. Esse é um projeto que entregamos pessoalmente, com o Parlamento Amazônico. É uma luta que sempre travamos, que durou 15 anos, e que começa a se efetivar. Agora lutaremos para alfandegar o porto hidroviário de Tabatinga para viabilizar essa rota, a integração do Pacífico com o Atlântico”, afirmou o parlamentar.


De acordo com o ministro Waldez Góes, é necessário identificar as prioridades da Amazônia e o evento é uma oportunidade para isso. Ele apontou sua responsabilidade em aumentar a sinergia e a assertiva, no que se diz de política de bioeconomia e a política de desenvolvimento na região de fronteira, do Amapá até o Rio Grande do Sul.


“São vazios muito grandes, onde faltam políticas públicas, e entendemos que é preciso um olhar forte. Por isso, a hipótese de integração da América Latina com o Continente Asiático, por meio do Manta-Manaus, é uma obra muito importante, e está no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Temos as rotas muito bem definidas para valorizar as regiões de fronteira”, declarou o ministro, que afirmou que viajará na próxima semana à Tabatinga, município chave para o funcionamento do eixo.


Projeto Manta-Manaus

O projeto Manta-Manaus é um dos cinco eixos de desenvolvimento prioritários escolhidos pelo Ministério do Planejamento e Orçamento, comandado pela ministra Simone Tebet, e possui investimentos garantidos pelo novo PAC.


“Estivemos em agosto do ano passado participando de uma audiência no Ministério do Planejamento para demonstrar os benefícios do eixo Manta-Manaus. Foi com alegria que recebemos a notícia que o projeto foi escolhido como prioritário pelo Governo Federal. Integrar a Amazônia ao resto do Brasil e aos parceiros sul-americanos é uma prioridade do presidente Lula”, comentou Sinésio Campos.

 

Fonte: Aleam

Σχόλια


bottom of page