Buscar

Miliciano ficava com parte de salários de ex-assessores de Flávio, diz MP


A trama de lavagem de dinheiro e ‘rachadinha’ que envolve Flávio Bolsonaro (sem partido), sua esposa Fernanda Bolsonaro, Fabrício Queiroz e outros ex-assessores da Alerj não para de revelar mais detalhes criminosos. Segundo reportagem do UOL, o Ministério Público do Rio de Janeiro apurou que o ex-PM e chefe da milícia Escritório do Crime, Adriano Magalhães da Nóbrega, também recebia parte dos valores arrecadados através da ‘rachadinha’ no gabinete do filho 01 de Bolsonaro.

Além disso, a investigação mostra que Queiroz não agiu sem conhecimento de seu superior hierárquico direto, de acordo com MP. Ou seja, integrantes da família Bolsonaro podem ter tido conhecimento das relações de Queiroz com a milícia e do esquema de recolher parte dos salários de funcionários do gabinete de Flávio na ALERJ.

Agora, a Promotoria pediu à Justiça do Rio mandados de busca e apreensão e quebras de sigilos. A investigação já teve acesso a diálogos entre Adriano e Queiroz, apontado como operador financeiro no esquema do gabinete de Flávio. Segundo o MP-RJ, o chefe da milícia de Rio das Pedras interveio junto a Queiroz na tentativa de manter sua ex-esposa Danielle Mendonça da Costa nomeada como assessora fantasma e admitiu que era beneficiado por parte dos recursos desviados por parentes dele também nomeados na Alerj.

Meses atrás, a investigação também encontrou conversas entre Queiroz e Danielle, em que o ex-assessor demonstrava que havia preocupação por parte do clã Bolsonaro de que o vínculo dela com o miliciano se tornasse público, como detalha outra reportagem do UOL. A preocupação explicitada por Queiroz é mais uma prova de que os Bolsonaros sabiam do envolvimento da funcionária com membros da milícia do Rio de Janeiro.

Relembre as denúncias que vieram à tona nas últimas 24 horas:

• MP acusa Flávio Bolsonaro e esposa de lavagem de dinheiro para comprar apartamentos

• Flávio Bolsonaro ‘lavou’ R$ 638 mil em compra de imóveis, diz MP-RJ

• Queiroz e parentes de ex-mulher de Bolsonaro são alvos de ação do MP-RJ

• Loja de Flávio Bolsonaro é alvo de busca em operação sobre o Caso Queiroz

• Família de miliciano repassou a Queiroz quase 20% do salário no gabinete de Flávio Bolsonaro, diz MP

• Queiroz indica que Bolsonaros sabiam de ligação de assessora com miliciano

• MP: Queiroz não agiu sem o conhecimento de seus superiores hierárquicos

• PM investigado pagou prestação de apartamento de Flávio Bolsonaro, diz MP

• Ex-mulher e mãe de miliciano repassaram R$203 mil para Queiroz, diz MP

• Parentes de ex-mulher de Bolsonaro sacaram R$ 4 milhões em salários da Alerj

• Ex-assessora de Flávio admitiu origem ilícita do dinheiro, diz MP

Fonte: Agência PT de Notícias, com informações do UOL

#FlávioBolsonaro