Buscar

Com discurso maníaco e agressivo, Bolsonaro envergonha o Brasil na ONU


As expressões dos líderes mundiais e parlamentares que presenciaram o discurso de Bolsonaro na Assembleia-Geral da ONU nesta terça-feira (24) demonstravam a incredulidade sobre o que saía da boca de Jair. O discurso foi permeado de ataques infundados, fake news e muita, muita teoria conspiratória dos anos 70: Bolsonaro atacou governos petistas, países vizinhos, a mídia internacional e a sanidade mental dos ouvintes.

Em um discurso maníaco e agressivo, Jair Bolsonaro não teve vergonha de mentir para o mundo sobre a preservação ambiental brasileira ao afirmar que a “a Amazônia permanece quase intocada”. Além disso, acusou, mais uma vez, os povos indígenas de provocarem os recentes incêndios na floresta. Citando uma carta com suposta maioria das representações indígenas, Bolsonaro ainda atacou o líder indígena Raoni – chamando-o de “peça de manobra” – e as ONGs, tentando deslegitimar quem se coloca na linha de frente na defesa da Amazônia.

Em artigo no UOL, o jornalista Jamil Chade comentou as principais repercussões do discurso de Bolsonaro na ONU. Entre as mensagens que recebeu, representantes da cúpula da ONU chegaram a afirmar que “Ele (Bolsonaro) acabou de perder a última chance de ser respeitado”. O vexame na Assembleia-Geral das Nações Unidas provocou comentários indignados de grande parte dos diplomatas perante as falas autoritárias e mentirosas de Jair. Segundo Chade, um embaixador asiático chegou a questionar “Quando é a próxima eleição?”, demonstrando ansiedade para que o Brasil saia desse desgoverno retrógrado que combate inimigos imaginários enquanto ignora os problemas reais do país e do mundo.

Mais mentiras

“Hoje o Brasil está mais seguro e ainda mais hospitaleiro”, diz Bolsonaro ao citar que o número de homicídios está diminuindo no país. Não parece que fala do mesmo país que no final de semana se despediu de mais uma criança inocente vítima de violência policial, Agatha Vitória Sales Félix, que morreu com um tiro nas costas por conta da política de extermínio e uso de armas incentivadas por Jair.

Com elogios a Donald Trump e um discurso que remete aos tempos de Guerra Fria, Jair prega o retrocesso em todas as esferas. Ao citar versículos da Bíblia, Bolsonaro age também contra a Constituição de seu próprio país. O Brasil é um Estado laico e, por isso, seu representante deveria exalar neutralidade, sem destacar qualquer religião, principalmente em eventos internacionais onde estão presentes lideranças de todas as religiões do mundo. Jair se diz patriota, mas não consegue nem mesmo respeitar sua Constituição.

Bolsonaro discursou frases bizarras, absurdas e sem sentido. Um pseudo líder confuso que mistura religião e um combate ao que chama frequentemente de “ideologia” e que diz ser o grande mal do país. “A ideologia invadiu a alma humana expulsando Deus. Ela sempre deixou um rastro de ignorância e morte por onde passa”, afirmou. Com frases desse tipo num discurso vergonhoso transmitido para o mundo inteiro, Jair envergonha o povo brasileiro ao tentar justificar a destruição que provoca no país, desmontando estatais, prejudicando os mais pobres e instaurando a censura e o preconceito.

Fonte: Agência PT de Notícias

#Bolsofake