Buscar

MCTIC garante orçamento do Instituto Mamirauá


Cerca de 90% do orçamento de 2019 previsto para o Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá já está garantido, anunciou o secretário-executivo do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Julio Semeghini, durante sessão especial no Senado Federal, nesta segunda-feira (27), em comemoração aos 20 anos da entidade. “Com um esforço enorme, o ministro Marcos Pontes conseguiu descontingenciar parte do orçamento deste ano e o contrato de gestão entre o MCTIC e o instituto já está pronto para ser assinado”, afirmou.

Fundado em 23 de abril de 1999, o Instituto Mamirauá é uma organização social fomentada e supervisionada pelo MCTIC, com sede em Tefé (AM). Para Julio Semeghini, a atuação do Mamirauá é um exemplo de sucesso, com uma forma inteligente de utilizar a pesquisa para resolver problemas e promover o desenvolvimento sustentável. “Um desafio da ciência e da tecnologia é que sejam desenvolvidas e aplicadas para melhorar a qualidade vida das pessoas”, frisou.

Durante a solenidade, o secretário-executivo do MCTIC também revelou que a Região Amazônica será beneficiada nos próximos anos por um projeto que vai oferecer conexão à internet para todas as grandes e médias cidades da amazônia. “A gente vai levar, através do Rio Amazonas e seus afluentes, uma banda larga de alta qualidade a um preço bastante baixo, que vai beneficiar institutos de pesquisa, educação, saúde e, acima de tudo, a população.” Segundo ele, o projeto deverá envolver recursos da ordem de R$ 300 milhões.

Pioneirismo

O diretor-geral do Instituto Mamirauá, João Valsecchi do Amaral, destacou o pioneirismo da entidade ao introduzir um novo modelo de unidades de conservação, as reservas de desenvolvimento sustentável, que permitem conservar a biodiversidade sem desalojar as populações locais. “Essas populações participam da gestão e podem usar os recursos naturais da unidade de conservação para melhorar sua qualidade de vida.”

Entre as ações implantadas pelo Mamirauá nas últimas duas décadas, João Valsecchi do Amaral citou a pesca manejada do pirarucu, o turismo com base comunitária e técnicas de produção agrícola e animal. “Celebrar os 20 anos de atuação e de memória do Instituto Mamirauá é um ato de cidadania e de reafirmação do nosso compromisso com a conservação da biodiversidade e com o desenvolvimento regional.”

O senador Eduardo Braga, do Amazonas, autor da proposição da Sessão Especial, ressaltou que a atuação do instituto assegura às comunidades da Amazônia um protagonismo na conservação da biodiversidade. “Apoiados por pesquisadores e cientistas, milhares de pescadores, extrativistas e caboclos ressignificam todos os dias a relação com a natureza. Da exploração predatória, eles passaram a priorizar o manejo florestal e de espécies, entre outras iniciativas sustentáveis.”

Segundo o senador, a preservação da natureza e do planeta é hoje tema prioritário de governos, empresas e famílias do mundo inteiro. Eduardo Braga afirmou qualquer governo sério e comprometido não pode ignorar o debate sobre o meio ambiente e as empresas sabem que devem respeitar parâmetros mínimos de preservação ambiental. “Sem um planeta habitável, não há economia, não há dinheiro, não há consumo. Economia e sustentabilidade devem caminhar lado a lado.”

Resultados

Representante dos moradores da Unidade de Conservação Amanã, beneficiada pela atuação do Instituto Mamirauá, Edval Feitosa lembrou os resultados de ações para as comunidades ribeirinhas, com destaque para a capacitação de lideranças da região. “É importante pensar na preservação da natureza, mas também nas pessoas que lá vivem. A gente se sente bem em poder trabalhar com o instituto e manter a floresta em pé. As comunidades estão satisfeitas.”

O Instituto Mamirauá é um centro de excelência comprometido com o desenvolvimento de pesquisas científicas, com foco na conservação da biodiversidade, no manejo de recursos naturais, na gestão de áreas protegidas da Amazônia e na qualidade de vida das populações locais. Suas ações estão alinhadas com Agenda Universal 2030 dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e beneficiam atualmente mais de 150 mil pessoas.

Confira todas as fotos da homenagem clicando aqui.

Fonte: MCTIC

#InstitutoMamirauá