Buscar

Em encontro na Rússia, UNAIDS busca compromisso de jovens com o fim da AIDS até 2030


Mais de 25 mil jovens de 188 países reuniram-se em Sochi, na Rússia, em meados de outubro (14 a 21) para o 19º Festival Mundial de Jovens e Estudantes, cujo objetivo foi promover discussões sobre desafios globais, com foco nos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Por meio da liderança da Coalizão Jovem contra o HIV (PACT, na sigla em inglês) e apoio do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) e de parceiros, questões sobre fim da AIDS, saúde sexual, reprodutiva e de direitos estavam na pauta do encontro.

Mais de 25 mil jovens de 188 países reuniram-se em Sochi, na Rússia, em meados de outubro (14 a 21) para o 19º Festival Mundial de Jovens e Estudantes, cujo objetivo foi promover discussões sobre desafios globais, com foco nos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Por meio da liderança da Coalizão Jovem contra o HIV (PACT, na sigla em inglês) e apoio do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) e de parceiros, questões sobre fim da AIDS, saúde sexual, reprodutiva e de direitos estavam em alta na agenda do encontro.

Três painéis estiveram focados em educação extensiva sobre sexualidade, epidemias modernas e o papel dos jovens para o fim da AIDS até 2030. Embora tenha havido progresso no resposta ao HIV, ainda existem desafios que colocam jovens em risco, incluindo discriminação, exclusão, violência e falta de acesso a serviços.

Palestrantes enfatizaram que a falta de qualidade na educação extensiva sobre sexualidade continua

sendo uma das maiores falhas em garantir que jovens saibam como se proteger do HIV.

Os participantes também apresentaram novos produtos e plataformas, entre eles vídeos com lições desenvolvidas para crianças em idade escolar no Leste Europeu e na Ásia Central, apresentados pela Embaixadora da Boa Vontade do UNAIDS, Vera Brezhneva, por meio do canal NauchPok.

A Coalizão Jovem PACT encontrou-se com a enviada do secretário-geral das Nações Unidas para a juventude, Jayathma Wickramanayake, que disse: “estou ansiosa para trabalhar com todos vocês através do UNAIDS e outros parceiros”.

“Meu objetivo é garantir que jovens tenham voz em todos os processos das Nações Unidas e auxiliá-los a levantar questões que sejam relevantes para eles e suas comunidades, incluindo questões que possam ser percebidas como sensíveis ou desafiadoras.”

Falta de informação sobre HIV leva a novas infecções e sustenta as causas primárias que colocam jovens em risco, incluindo desigualdade, discriminação, violência e exclusão. Dilyara Vagapova, do grupo russo de rock Murakami disse: “sem conversas abertas com os jovens sobre HIV, sexo e os danos causados por drogas, nós não vamos ter êxito em acabar com a epidemia de HIV no Leste Europeu e Ásia Central”.

Para garantir que as metas da Declaração Política das Nações Unidas para o Fim da AIDS 2016 sejam cumpridas, responsabilidade é fundamental. Jovens líderes da Bulgária, Índia, África do Sul, Tajiquistão e Reino Unido compartilharam melhores práticas em educação de pares e responsabilidade liderada pela juventude nos ODS e na resposta ao HIV.

Yana Mladenova, da Bulgária, disse: “uma política no papel não é a mesma que uma política na prática”. “Uma defesa bem sucedida resulta em ação, em prática”, disse.

Yana Valchuk, da rede adolescente “Teenergizer”, declarou: “para acabar com a epidemia, nós precisamos acabar com a discriminação, para que os adolescentes parem de viver com medo”.

Para o diretor regional do UNAIDS para o Leste Europeu e Ásia Central, Vinay P. Saldanha, “alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, incluindo acabar com a AIDS até 2030, não depende daqueles que os negociaram”. “Isso depende do comprometimento individual de cada jovem neste festival. Este é o seu mundo — estes são os seus objetivos”, disse.

Fonte: ONU

#ONU