Buscar

Rui Falcão: A força de Lula


Foto: Ricardo Stuckert/ Instituto Lula

Em artigo semanal, o presidente do partido condena a criminalização e perseguição ao ex-presidente Lula e à presidenta eleita Dilma Rousseff

As pesquisas de opinião mais recentes continuam a apontar o ex-presidente Lula como liderança inquestionável em todos os cenários.

Mas insistem em afirmar que, diante da rejeição provocada pela insidiosa campanha da mídia monopolizada e pela perseguição implacável de autoridades parciais, dificilmente venceria num hipotético segundo turno nas eleições de 2018. Ainda que 2018 esteja distante e o ex-presidente não lançou sua candidatura, a campanha contra ele e o PT tende a se ampliar, por dois motivos principais.

O primeiro, mais imediato, é o de procurar influir na votação final do processo de impeachment, para que a presidenta Dilma Rousseff não obtenha os 28 votos necessários para barrar o golpe.

Foto: Agência PT

O segundo, óbvio, é impedir a vitória – melhor até, a candidatura – no pleito de 2018, além de infligir uma derrota acachapante ao PT nas eleições municipais de outubro próximo. Contra as iniciativas da direita e das classes dominantes, hoje alinhadas com o presidente usurpador, o PT deve permanecer unido, sem deixar que divergências de percurso nos afastem do objetivo principal de curto prazo: o retorno de Dilma à Presidência, para restabelecer a democracia violada e iniciar um novo ciclo de mudanças, com a participação dos movimentos sociais, dos partidos populares e de todos (as) que desejem construir um Brasil melhor.

Rui Falcão é presidente nacional do PT

#politica