Buscar

Barretos festeja a passagem da chama com dança típica


A chama olímpica passa, nesta terça-feira (19), por cinco cidades do interior paulistano: Sertãozinho, Jaboticabal, Bebedouro, Barretos e Franca. Em Barretos, a passagem do símbolo da Olimpíada será acompanhada por apresentações culturais típicas da região, como a viola e a catira, dança rural característica do sudeste brasileiro.

Francisco Santana Júnior é um dos coordenadores e integrantes do grupo de catira que se apresentará em Barretos. "É uma dança que chama atenção porque é difícil de se apresentar", conta.

A catira é uma dança folclórica brasileira, cujo ritmo musical é marcado pelas batidas dos pés e mãos dos dançarinos. De origem híbrida, conta com influências indígenas, africanas e europeias.

Santana se apaixonou pelo ritmo aos 13 anos, quando viu apresentação de um grupo na cidade durante uma festa junina e, desde então, se dedicou a música. "É preciso ser apresentada com a viola caipira e os dançarinos devem usar chapéu, bota e cinto com fivela", destaca.

Além da catira, a passagem da tocha seguirá por Barretos ao ritmo da viola de Leandro Jesus Rodrigues. "Meu pai tocava a viola e queria aprender também. Faz parte da nossa cultura, sempre ouvimos a roda da viola por aqui e eu sou encantado com o instrumento até hoje", afirma Rodrigues.

No repertório, Rodrigues levará ao palco o Hino Nacional e a canção O Menino da Porteira, considerada o hino caipira. "Integrar a programação na passagem da chama é uma emoção e uma honra para mim. É uma oportunidade para divulgarmos nossa cultura, temos excelentes músicos por aqui e que, muitas vezes, não são conhecidos no resto do país", salienta.

Na quarta-feira, a Tocha Olímpica segue trajeto por outras cidades de São Paulo: Rio Claro, Limeira, Americana e Campinas.

O MinC e a Tocha

No domingo, o símbolo olímpico chega a São Paulo. A capital foi uma das 15 cidades que firmou convênio com o Ministério da Cultura (MinC) para articular ampla programação cultural.

O MinC criou o programa "Celebrações nas cidades do revezamento da Tocha Olímpica" no fim de 2015. O objetivo é aproveitar o momento do revezamento da chama pelo Brasil, em que a mídia mundial está mobilizada, para divulgar nacional e internacionalmente, a diversidade cultural e as expressões artísticas existentes no país.

Fonte MinC - Foto: Divulgação/Arquivo

#cultura