Buscar

Midia contribui para campanha de intolerância ao PT, diz Rui


Foto: Paulo Pinto/AgênciaPT

Em coletiva à imprensa nesta quinta-feira (30), o presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, Rui Falcão, afirmou que o ataque à sede nacional da legenda em São Paulo (SP) foi mais um atentado contra o PT, “provocado por essa onda de intolerância que é estimulada pela grande mídia, inclusive”.

Para ele, a mídia ajuda a criar uma campanha de intolerância contra o PT. “As pessoas acabam elegendo um inimigo”. Mais cedo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva divulgou uma nota sobre o caso: “Ultimamente, o Brasil tem assistido a muitas cenas de intolerância e ódio”.

O prédio sofreu ataque durante a madrugada desta quinta. O responsável pelo ataque foi solto pela polícia e retornou ao local durante a tarde, com um coquetel molotov. Segundo funcionários presentes no local, o homem entrou na sede do partido, atirou a bomba acesa ao chão e saiu correndo em fuga. Felizmente, o artefato não explodiu. Falcão garantiu que o ataque não vai intimidar o partido. “Eles não vão nos intimidar. Nós vamos continuar com a nossa luta em defesa de um Brasil melhor e contra o golpe, contra o presidente ilegítimo Michel Temer. Eles não passarão e não nos intimidarão”.

“O PT não é só essa sede aqui. O PT são milhares em todo o Brasil. E nesse momento eu tenho certeza que cada militante, cada companheiro e cada companheira está solidário conosco contra mais esse ato de agressão”, destacou.

O presidente do PT disse que já foram tomadas as providências jurídicas.

“Nós fomos ao 1º DP, pedimos abertura de inquérito, pedimos proteção da Polícia Militar, comunicamos à Polícia Federal, porque aqui é a sede nacional de um partido político”, afirmou.

O Partido entrará, ainda, com uma ação de reparação de danos e uma ação cível, “para mostrar que as pessoas, além das consequências criminais, vão ter que pagar”.

Segundo o presidente, o PT está conversando com o secretário de Segurança Pública de São Paulo, pedindo para que também tome providências.

“Não é a primeira vez que isso ocorre. Outros diretórios do PT já foram na capital e no interior e é preciso que a autoridade policial coíba, até porque o agressor de hoje pôs no seu Facebook que voltaria, que queria matar os petistas. Foi solto e realmente voltou. Depois de estar aqui de madrugada, ele veio à tarde para jogar uma bomba aqui”, apontou Falcão.

Rui enfatizou que a bomba jogada na sede tinha alto poder ofensivo e que, caso ela realmente explodisse, teria destruído toda a entrada do prédio e certamente matados pessoas.

Fonte: Agência PT de Notícias - por Luana Spinillo