Buscar

Mais um vídeo exclusivo! Em inglês tipo Joel Santana, presidente do TSE difama governo junto a autor


Do blog O Cafezinho - Inacreditável! Gilmar Mendes rasga a Constituição brasileira na Suécia.

Da redação do blog (com ajuda do jornalista Welligton Calasans)

Após a enorme repercussão da entrevista com o Ministro do STF, Gilmar Mendes, feita em Estocolmo pelo jornalista Wellington Calasans, contratado pelo blog “O Cafezinho”, temos a oportunidade de publicar o material que foi gravado durante o encontro que o “Toga Falante” participou com diplomatas, juristas suecos e professores de direito na Universidade de Estocolmo.

São 25 minutos que desnudam uma imagem de “intelectual e juiz capacitado” criada em torno daquele que envergonha o judiciário brasileiro.

Ao ousar romper fronteiras como porta-voz do golpe, para se gabar mundo à fora das violências contra a democracia que ele mesmo, como ministro do STF, presidente do TSE e, sobretudo, como agente político da oposição, pratica, Gilmar saiu da zona de conforto criada pela Globo.

Este vídeo é também um prêmio à humildade de Lula, pois assumir que não sabe falar inglês e, por isso, contratar um intérprete, é muito mais digno do que falar esse “inglês diamantino” do “toga”.

Joel Santana certamente vai odiar este material, pois a partir dele perderá o posto de garoto propaganda do “inglês embromation” para alguém que, sob a credibilidade que ainda resiste no STF, ama holofotes, mesmo quando é para a exposição do próprio ridículo.

Gilmar Mendes tenta confundir os suecos já no início do vídeo quando associa o momento atual à farsa do mensalão. Durante toda a sua fala (em péssimo inglês), o “toga” recorre ao recurso do sujeito indefinido para justificar ataques a Lula, a Dilma e ao PT.

Ele chega a cometer a bizarrice de dizer aos suecos que o Brasil é hoje um Parlamentarismo (!!!) e que o afastamento de Dilma deve ser entendido como um “voto de censura” dos parlamentares. Foi incapaz de informar que o Presidencialismo foi a escolha do povo brasileiro através de plebiscito.

Também não disse que a "perda de condição de governabilidade" de Dilma se deu por ações que ele mesmo, Gilmar Mendes, não apenas defendeu como idealizou, patrocinou ou conduziu.

Mendes inicia a fala mencionando o caso José Dirceu, exemplo mais puro do golpismo judicial, visto que - segundo um renomado e isento jurista consultado pelo Cafezinho - o petista foi condenado sem provas no caso mensalão e com provas ilegais no caso Lava Jato.

Ao deitar falação, em tom acusatório, conspirativo, sobre denúncias que ainda estão sendo examinadas pela justiça e pelo parlamento do Brasil, e para autoridades de um outro país, Gilmar Mendes age contra os interesses nacionais, contra o bom senso judicial mais comezinho, e contra o Estado democrático de direito.

Ao falar sobre as bases do impeachment, Gilmar fala em "corrupção", uma acusação que não existe na discussão do impeachment. Daí repete chavões e boatos. Ele usa verbos condicionantes; "foi dito, dizem, teria havido". Ou seja, no vídeo você verá o presidente do tribunal superior eleitoral, ministro da corte suprema, externando um monte de boatos contra a autoridade máxima do seu próprio país, para autoridades estrangeiras.

Viajar ao exterior, às custas do erário, para difamar - sem provas - o governo de próprio seu país junto a autoridades estrangeiras, é uma gravíssima traição à república.

A fala de Gilmar Mendes é tão grave que nos obriga a questionar porque nossos senadores ainda não reagiram aos arbítrios desse juiz.

Como é que até agora não foi pedido o impeachment de um juiz que, mesmo depois de tantos absurdos praticados, continua a falar fora dos autos sobre processos ainda fase de julgamento (e que ele mesmo julgará) e adapta a Constituição aos próprios interesses?

Nada justifica a presença de um juiz como Gilmar Mendes no STF ou no TSE.

A ironia é que este vídeo foi feito no mês em que os suecos celebram o “sol da meia-noite”. E é exatamente nos dias sem noite da Suécia que a luz do sol revela Gilmar Mendes como aquilo que sempre foi, mas que a Globo impediu de mostrar: o representante das trevas.

Além da participação profissional de Wellington Calasans (reportagem), este trabalho de O Cafezinho teve a importante colaboração de outros brasileiros residentes na Suécia: Edgard Antunes (legenda), Jessie de Souza (tradução) e Pedro Gomes (imagens).

Nota da equipe sueca: Pedimos desculpas pela instabilidade da imagem nos primeiros minutos, pois somente após algum tempo foi possível posicionar a câmera no tripé. A sala onde o encontro foi realizado era muito pequena, na medida exata para caber os argumentos usados por Gilmar Mendes para defender o golpe.

Fonte: O Cafezinho

#politica