Buscar

A dois meses da abertura dos Jogos, Rio de Janeiro está praticamente pronto


Vídeo retratam Barra, Deodoro, Vila dos Atletas, Estádio Olímpico, eventos-teste e projetos de mobilidade na cidade olímpica

Daqui a 60 dias, em 5 de agosto de 2016, os olhares do mundo estarão definitivamente voltados para o Brasil, na abertura dos Jogos Olímpicos Rio 2016. A cerimônia de abertura no Maracanã será o cartão de visitas para 17 dias em que mais de 10 mil atletas de 206 países disputarão a primeira edição dos Jogos Olímpicos na América do Sul,incluindo o histórico time de refugiados.

A reta final dos preparativos tem como um dos termômetros o revezamento da tocha, que já passou por 11 estados brasileiros em 102 dias e mobilizou quase quatro mil condutores. Até a abertura, todos os estados serão contemplados e mais de 12 mil pessoas vão empunhar o simbolo olímpico.

Ontem, a parada foi no cenário paradisíaco de Fernando de Noronha, em Pernambuco.

No Rio de Janeiro, as instalações que vão receber as disputas estão mais de 98% concluídas, segundo informações da Prefeitura do Rio de Janeiro. No Parque Olímpico da Barra, a única estrutura de competição ainda pendente é o velódromo. As demais já foram entregues e integraram a sequência de 44 eventos-teste realizados na capital fluminense. O período de ensaios mobilizou sete mil atletas, seis mil funcionários e 11.500 voluntários, segundo a Rio 2016.

No Parque Olímpico de Deodoro, como mostram as fotos e o vídeo, a fase é de instalação das arquibancadas temporárias em instalações como o circuito de BMX, o Estádio de Canoagem Slalom, o Estádio de Deodoro e o Centro Nacional de Hipismo.

Mobilidade

No último fim de semana, o primeiro trecho do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) foi inaugurado. Com o modal, os turistas terão mais facilidade para transitar no centro e conhecer museus, prédios históricos e igrejas. A linha 4 do metrô, que fará a integração entre a Zona Sul e a região da Barra, será aberta para uso dos torcedores que virão aos Jogos a partir de 1º de agosto.

Os aeroportos passam pelos últimos testes de logística e de infraestrutura. O Galeão, principal ponto de chegada ao Rio de Janeiro, inaugurou em maio o Píer Sul, com 26 novas pontes de embarque. São Paulo também passou por testes acessibilidade. As avaliações prévias são estratégicas não só para turistas e atletas, mas para garantir o desembarque seguro dos cavalos do hipismo, das armas utilizadas nas provas de tiro e, durante os Jogos Paralímpicos, para a chegada acessível de cadeirantes e atletas com diversos graus de limitação de movimentação.

Segurança

O plano de Segurança e Defesa dos Jogos, que envolverá mais de 85 mil profissionais, dos três níveis de governo, deu mais um passo importante na semana passada. Foram validados os protocolos integrados, documentos que contêm o detalhamento de cada operação. Os protocolos se referem a aspectos-chave do trabalho, como vistorias e contra medidas de bombas e explosivos; segurança das cerimônias; credenciamento; segurança de dignatários, atletas e medalhas, enfrentamento ao terrorismo, entre outros.

Já os 54 Planos Integrados de Segurança Pública e Ordenamento Urbano (PISOU) para as instalações olímpicas do Rio de Janeiro estão desde abril com o Comitê Organizador Rio 2016. Os documentos são resultado de 18 meses de trabalho de 20 órgãos de segurança, defesa e inteligência, além de representantes do Comitê Organizador no âmbito da Comissão Estadual de Segurança Pública e Defesa Civil para os Jogos Rio 2016 (Coesrio2016).

Ao longo de mais de 450 sessões, cerca de 160 pessoas definiram as 215 ações que devem ser colocadas em prática em cada instalação que ficará a cargo das forças públicas de segurança, como os locais de treinamento, as áreas de competição no Rio, além de instalações como Vila Olímpica, Vila dos Árbitros, Centro Principal de Mídia (MPC) e Centro Internacional de Transmissão (IBC).

Saúde

Para reafirmar em ambiente internacional as ações realizadas pelo país para garantir a tranquilidade de torcedores, atletas e chefes de Estado durante os Jogos, o ministro da Saúde, Ricardo Barros, esteve na 69° Assembleia Mundial da Saúde, realizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em Genebra, na Suíça, e visitou a sede do Comitê Olímpico Internacional (COI). Ele detalhou os diversos procedimentos adotados em relação ao combate ao Aedes aegypti e reforçou que o período dos Jogos é de baixa incidência de doenças ligadas ao mosquito.

Fonte: Brasil2016

#esporte