Buscar

Centro de Treinamento Paralímpico inicia suas operações


Hall de entrada do Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo. Foto: Roberto Castro/Brasil2016.gov.br/ME

A cerca de 100 dias para os Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro, atletas de diferentes modalidades ocuparam pela primeira vez as instalações do Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro. Durante a cerimônia na capital paulista que oficializou o início das atividades na instalação, a atleta Shirlene Coelho expressou, nesta segunda-feira (23.05), o sentimento dos atletas brasileiros. "Agora termos uma casa para chamar de nossa. Quero agradecer aos apoiadores do esporte e gostaria de fazer um pedido: que esse sonho não acabe", disse Shirlene, integrante da seleção brasileira de atletismo paralímpico.

O complexo é o maior do mundo em número de modalidades contempladas: 15 ao total. O equipamento é o principal legado dos Jogos Paralímpicos Rio 2016 para a infraestrutura dos esportes adaptados. A seleção nacional de atletismo utilizará o equipamento pela primeira vez na próxima semana, quando os atletas participarão de período de treinamento. A agenda de atividades está completa para os meses seguintes. As provas do circuito nacional de atletismo, natação e halterofilismo ocuparão o local em junho e julho.

O termo de uso da estrutura pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) para o período de 12 meses foi assinado durante a cerimônia. Para o ministro do Esporte, Leonardo Picciani, a casa do esporte paralímpico permitirá não somente o desenvolvimento dos talentos atuais, mas principalmente os do futuro. "Aqui é um ponto de partida fundamental. Ele só foi possível por meio da parceria com o governo do estado de São Paulo. Tenho certeza de que os Jogos Paralímpicos emocionarão o Brasil. Pelas conquistas que os nossos atletas terão e pelo exemplo de superação, garra, força de vontade e esperança que certamente irão deixar para toda a população brasileira", disse.

Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo. Foto: Roberto Castro/ brasil2016.gov.br

"Essa região era conhecida como Febem Imigrantes. Temos hoje aqui de um lado a beleza do Parque Zoológico e ao lado o maior centro de eventos da América do Sul. Quando o governo federal pensou em investir em um centro nós nos candidatamos. A cidade tem o Time São Paulo Paralímpico e não poderíamos perder a oportunidade. Hoje, não há no mundo nada melhor do que este equipamento", explicou o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.

Atletas

Bruna Alexandre, uma das revelações do tênis de mesa paralímpico, ficou ainda mais feliz por ter uma estrutura de ponta perto de casa. "Eu estava chegando na avenida e achei espetacular o tamanho do local. Fico mais feliz em morar perto, em São Caetano do Sul. Acho um grande passo, não só para mim, mas para todos os atletas que irão treinar juntos na estrutura", explicou.

Clodoaldo Silva, detentor de 13 medalhas em Jogos Paralímpicos, entrou pela primeira vez no CT e também se sentiu em casa. "Nem nos meus melhores sonhos eu poderia imaginar. Comecei numa época em que o esporte paralímpico não tinha divulgação e investimento. O Centro vai colaborar para a consolidação do esporte paralímpico brasileiro. É muito bom chegar aqui e se sentir em casa", disse.

Na terceira visita ao Centro, o também nadador Ronystony Cordeiro comemorou a entrega do equipamento. "Quando visitei pela primeira vez fiquei olhando e pensando quanto tempo iria demorar para construir. Agora, é gratificante receber a estrutura com uma piscina rápida para os treinamentos específicos. Essa é a melhor piscina que temos, toda adaptada para o paralímpico. Não temos o que reclamar. É só agradecer e trabalhar", comemorou.

Aclimatação Rio 2016

A delegação brasileira entrará no Centro de Treinamento Paraolímpico Brasileiro para o período final de treinamento para as Paralimpíadas no dia 21 de agosto. Os atletas intensificarão os treinamentos até 1º de setembro.

Estrutura

Com obras iniciadas em dezembro de 2013, o Centro de Treinamento fica no Parque Estadual das Fontes do Ipiranga e é um dos pontos principais da Rede Nacional de Treinamento. Construída seguindo parâmetros de acessibilidade, com rampas de acesso e elevadores, a estrutura conta com 86 alojamentos, capazes de receber entre 280 e 300 pessoas, e áreas para o treinamento de 15 modalidades paralímpicas: atletismo, basquete em cadeira de rodas, bocha, natação, esgrima em cadeira de rodas, futebol de 5, futebol de 7, goalball, halterofilismo, judô, rúgbi em cadeira de rodas, tênis de mesa, tênis em cadeira de rodas, triatlo e vôlei sentado. A unidade está dividida em 11 setores que englobam áreas esportivas de treinamento, hotel, centro de convenções, laboratórios, condicionamento físico e fisioterapia.

O empreendimento recebeu investimento de R$ 305 milhões, sendo R$ 187 milhões em recursos federais. Do total do aporte do Ministério do Esporte, R$ 167 milhões foram investidos na construção e outros R$ 20 milhões em equipagem.

Fonte: Brasil 2016

#esporte