Buscar

Portugal lembra Revolução dos Cravos com ato contra o golpe


Brasileiros que protestavam contra o impeachment receberam apoio dos portugueses; escritora Pilar del Río também participou do ato.

O 42º aniversário da Revolução dos Cravos em Portugal foi marcado este ano por um protesto de brasileiros residentes no país contra o golpe no Brasil. A tradicional manifestação realizada todos os anos no dia 25 de abril registrou um apoio à presidenta, Dilma Rousseff, com cartazes e caminhada protagonizada por cerca de 300 pessoas.

O ato foi organizado pela Casa do Brasil, que reúne brasileiros imigrantes em Portugal e chamada de “Marcha pela Democracia na Avenida da Liberdade”. Conforme apurou a Agência PT, durante todo o trajeto que marca a Revolução dos Cravos (descida de uma das principais avenidas de Lisboa, a Av. da Liberdade), os brasileiros que protestavam contra o golpe no Brasil receberam apoio dos portugueses. Um dos expoentes da caminhada foi a escritora e tradutora espanhola Pilar del Río, que preside a fundação que leva o nome de seu marido José Saramago (1922-2010).

Foi comum ouvirem palavras de apoio e receberem aplaudidos. Muitos cartazes pediam a prisão do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Uma faixa com a frase “Golpe Nunca Mais” foi aberta em meio a bandeiras de Portugal e outras com as cores brasileiras.

A notícia do impeachment foi impactante na política de Portugal. Os veículos de imprensa de todo o mundo vêm abordando quase que diariamente o assunto com destaque, sendo, inclusive, capa na edição dos dias logo a seguir à aprovação pela Câmara do processo contra Dilma.

O tom no tratamento em Portugal é de preocupação e assombro. Isso ficou claro em discurso da deputada Joana Mortágua, que criticou com veemência a sessão de votação na Câmara. “Entre Deus e o mundo, tudo foi razão para derrubar a presidente do Brasil”, afirmou a deputada do Bloco de Esquerda. “Menos o crime de responsabilidade, que deveria ser o único motivo possível para o impeachment.”

Revolução dos Cravos A Revolução dos Cravos foi o nome dado à derrubada do governo de Marcelo Caetano, em Portugal, em movimento conduzido por capitães do Exército, em 25 de abril de 1974. A derrubada do governo que daria continuidade à ditadura de Antonio de Oliveira Salazar teve forte apoio popular e ganhou este nome a partir do gesto de um soldado de colocar no cano de sua espingarda um cravo recebido de presente de uma florista.

O movimento que marcou a história portuguesa foi homenageado também em música e letra de Chico Buarque, chamada “Tanto Mar”. O cantor e compositor faz referências à história e literatura portuguesas. “Foi bonita a festa, pá/Fiquei contente/Ainda guardo renitente/um velho cravo para mim”, canta Chico.

Leia mais sobre a Revolução dos Cravos aqui.

Fonte: Agência PT de Notícias por Camilo Toscano

#politica