Buscar

Empresa russa estuda participar de novo leilão portuário


O trecho Barcarena (PA) - Açailândia (MA) será agregado ao trecho Palmas (TO) - Anápolis (GO) da Ferrovia Norte- Sul Foto: Ministério dos Transportes

Comitiva de empresários da empresa russa de ferrovias, a Russian Railways (RZD), está no Brasil para conhecer a carteira de investimentos portuários no País. A RZD estuda a participação no leilão de seis áreas portuárias do Pará, marcado para o próximo 9 de junho. Na manhã desta segunda-feira, os executivos russos estiveram reunidos com o ministro da Secretaria dos Portos da Presidência da República (SEP), Helder Barbalho, em Brasília.

Interessados em investir na construção do trecho Açailândia-Barcarena da Ferrovia Norte-Sul, os russos buscaram informações sobre o projeto de operação portuária em Barcarena que irá a leilão. “Eles desejam participar das operações ferroviária e portuária. Por isso vieram conhecer as possibilidades de expansão, quais os tipos de movimentação que já existem no porto e detalhes do lote que está sendo viabilizado”, afirmou o ministro.

“Estamos consolidando nossa intenção de trabalhar no Brasil. A reunião foi muito útil”, afirmou o primeiro vice-presidente da RZD, o engenheiro Alexandre Misharin, que liderava a comitiva de seis executivos. Misharin explicou que o sistema de concessões também começou a ser usado na Rússia, principalmente na construção de ferrovias de alta velocidade, e que a RZD já trabalha em conjunto com o banco estatal de desenvolvimento econômico.

Presente em mais de 40 países, a empresa tem interesse em participar de projetos de infraestrutura, logística e transportes no Brasil, afirmou seu vice-presidente.

Também participaram da reunião o diretor-geral substituto da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), Fernando Fonseca, o diretor da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) Marcelo Prado, e Daniel Siegmann, presidente da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), do governo federal, além do secretário de Políticas Portuárias da SEP, Luiz Fernando Silva.

Fonte: Secretaria de Portos

#economia