Buscar

Lançamento do Minha Casa, Minha Vida 3 transforma-se em ato contra golpe no país


O lançamento do Programa Minha Casa, Minha Vida 3, no Palácio do Planalto

O lançamento do Programa Minha Casa, Minha Vida 3, no Palácio do Planalto, nesta quarta-feira (30), transformou-se em ato contra o golpe em andamento que pretende afastar do cargo a presidente Dilma Rousseff. A euforia tomou conta dos representantes dos movimentos sociais que participaram da cerimônia. Eles saudaram a presidenta Dilma Rousseff com a palavra de ordem “não vai ter golpe” – bordão entoado em todo o país pelos defensores da manutenção do processo democrático.

Contagiada por esse momento marcante, a presidenta Dilma disse, em discurso enfático, que para haver impedimento de um presidente da República, é necessário a comprovação de crime de responsabilidade. O que não ocorre com o seu governo.

“É absolutamente de má-fé dizer que todo impeachment é correto. Para ser correto exige-se que se caracterize crime de responsabilidade.

O que não está previsto é que, sem crime de responsabilidade, ele [o impeachment] seja passível de legitimidade”, afirmou Dilma. Para ela, o nome que se dá a esse processo que se arrasta no Brasil é “golpe” sim.

Dilma também lamentou a intolerância e o clima de ódio que se instalou no país nos últimos meses, por parte daqueles que não acataram o resultado eleitoral de 2014. “Somos presidencialistas. Não tem este negócio de que não gosta do governo, o governo cai. Isso só existe no Parlamentarismo. Não é a mim que se tenta atingir. Lamento este clima de ódio e ressentimentos no Brasil”, afirmou.

Sobre a terceira etapa do maior programa habitacional do país, que contará com 2 milhões de novas moradias até 2018 e terá nova faixa de renda e portal com cadastro unificado, a presidenta Dilma disse que ela foi eleita para atender aos 204 milhões de brasileiros. No entanto, explicou que entre eles existem os que durante séculos foram desassistidos. “Portanto, eles têm que ter prioridade quando olhamos onde vamos gastar nosso dinheiro. Não podemos ajustar a economia cortando programas sociais”, observou a presidenta.

Investimento – Nessa fase do programa serão investidos R$ 210,6 bilhões, dos quais R$ 41,2 bilhões são do Orçamento Geral da União. O programa também amplia o número de famílias que poderão ser contempladas, uma vez que o teto da renda dos candidatos subirá até 30%.

O líder do governo na Câmara, deputado José Guimarães (PT-CE), que participou da solenidade, destacou que em sete anos o Programa Minha Casa, Minha Vida já atingiu a marca de 4,2 milhões de unidades contratadas. Destas, 2,6 milhões já foram entregues, beneficiando mais de 10 milhões de pessoas em mais de 5 mil municípios brasileiros.

“Enquanto a oposição golpista fica torcendo contra o País, a presidenta Dilma, o nosso governo, trabalham forte para melhorar a vida do povo brasileiro. O lançamento dessa nova fase do Minha Casa, Minha Vida é um exemplo disso”, reconheceu Guimarães.

O líder do governo lembrou ainda que pela primeira vez na história do País, “a população empobrecida tem acesso a políticas públicas de habitação, que garantem dignidade a milhões de pessoas”.

Fonte: PT na Câmara - por Benildes Rodrigues/ Foto: José Cruz

#economia