Buscar

Jornal denuncia:com o golpe e ascensão de Temer, Cunha estaria livre da cassação


Mônica Bergamo, jornalista que costuma antecipar com precisão os principais acontecimentos políticos do Brasil, traz hoje, em sua coluna na Folha de S.Paulo, mais um grande motivador do golpe contra a presidente Dilma Rousseff: O acordo entre o líder da tentativa de quebra de legalidade, Michel Temer, e o notório presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, réu no Supremo Tribunal Federal (STF) por corrupção e lavagem de dinheiro.

“Começa a ser alinhavado um acordo para livrar Eduardo Cunha (PMDB-RJ) da cassação, caso Temer assuma o governo”, escreveu a jornalista em sua coluna desta terça-feira (29).

“Ele renunciaria à presidência da Câmara dos Deputados sob o argumento de que o novo governo precisaria articular nova maioria no parlamento”. Dessa forma, continua, Cunha seria apenas “suspenso pelo conselho de ética”, mas continuaria no como deputado federal para garantir a prerrogativa do foro.

Só há um poder na República com força suficiente para abortar mais essa manobra, dentre tantas outras que Cunha comanda impunemente na Câmara: o STF. A conspiração só será abortada se a mais alta Corte do País, finalmente, atender ao pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

“O acerto só será possível, no entanto, caso o STF não atenda ao pedido da Procuradoria Geral da República, que defende que Cunha seja afastado do cargo”.

A tentativa de ludibriar a opinião pública para salvar a pele do político mais rejeitado pela opinião pública também entrará na história como mais um lance da conspiração pelo golpe contra a democracia.

Fonte e foto: PT no Senado

#politica