Buscar

Tico Santa Cruz procura governo para denunciar ameaças em redes sociais


Após sofrer ameaças nas redes sociais e por telefone, o vocalista da banda Detonautas, Tico Santa Cruz, conversou nesta quarta-feira (2) com o secretário especial de Direitos Humanos, Rogério Sottili, para solicitar apoio do governo federal em relação a medidas de proteção e de enfrentamento à intolerância na internet.

No encontro, que contou ainda com a participação do secretário nacional da Juventude, Gabriel Medina, o músico explicou que decidiu procurar ajuda depois que sua família também passou a ser alvo das intimidações. O caso já está sendo acompanhado pela Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos.

Para Tico Santa Cruz, as ameaças são uma forma de retaliação por causa das suas postagens com conteúdo político nas redes sociais. “Isso é uma tentativa de censura e de boicote à liberdade de expressão”, desabafou.

“A intolerância está crescendo em um nível muito grande. Hoje, em qualquer página nas redes, as pessoas estão se agredindo, xingando e espalhando o preconceito. São questões que podem sair do campo virtual para a vida real. Temos que mostrar que é possível punir essas pessoas e que elas serão responsabilizadas por esse comportamento. Tem de haver uma conscientização de utilização das redes”, sugeriu o músico.

O secretário Sottili destacou que a intolerância nas redes sociais é uma preocupação da Secretaria Especial de Direitos Humanos. “Vamos mobilizar outros atores do governo para ver como combater ainda mais essa questão do ódio nas redes. Temos a obrigação de enfrentar esse problema, que chegou ao limite. Um dos instrumentos importantes que temos hoje relacionado a esse tema é o Humaniza Redes”, disse. O Humaniza Redes é um Pacto Nacional de Enfrentamento às Violações de Direitos Humanos na internet, lançado em abril de 2015.

Além do acompanhamento realizado pela Ouvidoria, a Secretaria de Direitos Humanos mobilizará os programas de proteção a pessoas ameaçadas para tratar do caso. A Secretaria de Segurança Pública do Rio de Janeiro também está mobilizada em torno das questões referentes à segurança do músico.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social - SDH/PR

#mais