Buscar

Escolas de Alckmin trocam refeições por bolacha e suco


Alunos da escola estadual Valério Strang, em Mogi Mirim, interior de São Paulo, denunciaram, em reportagem publicada pelo jornal “Folha de S. Paulo” nesta segunda-feira (29), que as refeições foram substituídas por bolacha com achocolatado ou suco de caixinha. Antes, os estudantes tinham merendas com arroz, feijão, estrogonofe e salada, por exemplo.

De acordo com a reportagem, a situação precária na alimentação se repete em outras escolas do estado, que é governado por Geraldo Alckmin (PSDB). A prefeitura de Mogi Mirim alega que o governo estadual tem repassado apenas R$ 0,50 por estudante para a produção das merendas e, por isso, o convênio com o estado não foi renovado.

A gestão tucana em São Paulo é alvo de denúncias, desde o início deste ano, em relação às merendas, na chamada “Máfia da Merenda“. A Polícia Civil e o Ministério Público investigam um esquema de corrupção e superfaturamento no fornecimento de produtos agrícolas para merenda escolar. O caso envolve o governo de São Paulo e pelo menos 22 prefeituras do interior paulista. A operação “Alba Branca” já revelou o envolvimento de altos funcionários do governo tucano.

Na última semana, estudantes secundaristas protestaram contra a Máfia da Merenda na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp). Durante o ato, os alunos já denunciavam a alimentação precária oferecida pelas escolas estaduais.

“O governador diz que está reorganizando, mas está fazendo uma bagunça: as salas estão superlotadas, falta alimento e água. Estávamos recebendo só bolacha, mas nessa semana comemos salada de ovo e não bebemos nada, porque nem água tinha na minha escola”, contou Gisele Ferreira, 15 anos, aluna do colégio Cícero Antônio.

Os estudantes querem a abertura de uma CPI para investigar as denúncias contra o governo Alckmin. A bancada do PT na Casa apresentou o pedido para a criação da comissão. No entanto, segundo o deputado João Paulo Rillo (PT), o pedido conquistou 22 assinaturas e ainda restam dez confirmações de outros deputados para a abertura do grupo.

Fonte: Agência PT, com informações do jornal “Folha de São Paulo”

#politica