Buscar

‘Foi a coisa mais importante que aconteceu na vida’, diz beneficiária do Minha Casa Minha Vida


Regiane Junqueira, mãe de 5 filhos e beneficiária do Bolsa Família: “É muita felicidade ter a casa da gente e saber que vou ter algo pra deixar pro meus filhos, se um dia eu vier a faltar”. Foto: Fernanda Lobo/Blog do Planalto

“Eu ainda não me dei conta. Parece um sonho saber que vou ter um cantinho só meu”, afirma Enedina Rodrigues da Silva, 52 anos. Desempregada e mãe de três filhas, ela é uma das beneficiadas pela entrega de 2.048 moradias do programa Minha Casa Minha Vida, que será feita pela presidenta Dilma Rousseff nesta quarta-feira (3), em Indaiatuba, interior de São Paulo.

Assim como Enedina, outras 5.792 famílias receberão, simultaneamente, as chaves de suas novas casas em mais oito cidades do País: Camaçari (BA), Timon (MA), Campo Mourão (PR), Itu (SP), Salvador (BA), Luis Eduardo Magalhães (BA), Caucaia (CE) e Jundiaí(SP).

Moradora de uma área de risco, na periferia de Indaiatuba (SP), ela se emociona ao constatar que o tempo de medo e a insegurança ficarão para trás.“Sempre, quando forma tempo de chuva, fico com medo, preocupada, porque pode vir um temporal e eu ficar descoberta. Mas, agora, vou morar num lugar bem melhor, com segurança e conforto. Foi a coisa mais importante que aconteceu em toda a minha vida. Não tenho como explicar, só agradecer a Deus e ao governo”.

A futura vizinha de Enedina, Maria de Fátima Barros, de 42 anos, é auxiliar de limpeza em uma fábrica de produtos alimentícios e mãe de cinco filhos, entre 3 anos e 19 anos. Como muitas mulheres, ela se desdobra para cuidar da família e manter a casa sozinha. Do salário de R$ 916, Maria de Fátima tira R$ 700 para pagar o aluguel de uma casa pequena. A partir desta quarta-feira (3), a auxiliar de limpeza passará a pagar uma prestação de apenas R$ 48 por um apartamento de dois quartos.

“Passei muita dificuldade nessa vida, tive que batalhar muito e esperei oito anos para ser sorteada no programa. Mas, graças a Deus, agora vou poder dar um lar e um conforto pros meus filhos. Posso dizer que eu venci: sai do aluguel e vou para a minha casa própria”.

Também moradora de Indaiatuba,a balconista Aldeir Costa de Souza, 43 anos, recebeu no dia do seu aniversário a notícia de que tinha sido umas das contempladas pelo programa habitacional. “Foi um presente e tanto. Com o salário que recebo, mesmo se eu eu economizasse, eu nunca ia conseguir ter minha casa própria”, conta.

Fonte: Blog do Planalto/ Foto: Fernanda Lobo/Blog do Planalto

#mais