Buscar

Satélite CBERS-4 completa um ano no espaço


Em 27 anos de parceria entre Brasil e China, quatro satélites de sensoriamento remoto foram lançados, e mais de um milhão de imagens foram disponibilizadas gratuitamente pela internet. Foto: Inpe

O satélite CBERS-4 completa, nesta segunda-feira (7), um ano em órbita. Resultado da parceria entre Brasil e China na área espacial, o satélite produz imagens e mapas que são usados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) no monitoramento da Amazônia, de queimadas e da expansão agrícola.

O acordo com os chineses estabelece a divisão, entre os dois países, do tempo de operação do CBERS-4. Há um mês, o Brasil assumiu o comando do satélite. "O controle de um satélite é fundamental e exige equipes com grande conhecimento. O INPE tem toda a infraestrutura de solo que permite o controle dos sistemas espaciais", explicou o diretor do INPE, Leonel Perondi.

O satélite possui quatro câmeras a bordo, sendo que duas delas foram produzidas no Brasil. Além disso, o País esteve à frente do trabalho de suprimento de energia, inclusive com a instalação dos paineis solares. Segundo Perondi, com o CBERS-4, o Inpe mantém uma política industrial voltada à qualificação de fornecedores e contratação de serviços e equipamentos de empresas nacionais.

"A fabricação do satélite no Brasil permitiu que nós tivéssemos o primeiro arranjo industrial, o que permitiu a capacitação de empresas brasileiras para a produção de sistemas espaciais. Na parte de sistemas espaciais, se o Brasil tiver foco, colocar esforço nesta área, nós podemos reproduzir o sucesso que nós tivemos com avião."

Durante os 27 anos de parceria com a China, quatro satélites de sensoriamento remoto foram lançados, e mais de um milhão de imagens foram disponibilizadas gratuitamente pela internet.

Fonte: MCTI

#cienciaetecnologia