Buscar

Inflamada pela mídia, crise não afeta setor de infraestrutura


As dificuldades econômicas enfrentadas pelo mercado brasileiro não atingiram os investimentos em infraestrutura. O setor é responsável pelo aprimoramento de serviços como energia elétrica, logística de transportes, como aeroportos, portos, ferrovias, rodovias, e telecomunicações, sempre relacionados a investimentos pesados e financiamentos de longo prazo.

A área é uma das menos afetadas pela escassez de recursos para financiamentos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A informação é do diretor de Planejamento, Pesquisa e Acompanhamento Econômico do banco de fomento, João Carlos Ferraz.

O setor anda na contramão dos demais e, de acordo com o diretor, vai receber ainda mais desembolsos que em anos passados, em que o desempenho econômico do pais esteve muito melhor.

O aumento de financiamentos será de 5% em relação a 2014, revelou Ferraz ao participar do Conselho Empresarial da América Latina, no Rio de Janeiro (RJ), na sexta-feira (16). O comportamento do setor é um forte indicador de confiança na superação dos problemas atuais.

Para Ferraz, conforme registro da “Agência Brasil”, “o aumento dos desembolsos em infraestrutura reflete o potencial da economia brasileira e miram no crescimento econômico, com oportunidades competitivas de baixo risco para os empresários”.

Ou seja, o setor está de olho no futuro, aposta no grande mercado interno, nas exportações e nas necessidades de infraestrutura que assegure o futuro. É tudo uma questão de tempo para o diretor.

“Temos que atravessar esse inferno astral, mas as oportunidades são grandes”, declarou a empresários que participavam do fórum. Ferraz aproveitou para cobrar do setor privado maior participação do setor bancário privado no financiamento de grandes projetos.

Fonte: Agência PT de Notícias - por Márcio de Morais

#economia