Buscar

Brasileiro recebe prêmio de Embaixador Internacional Estudantil na Irlanda


Estudante foi um dos 170 bolsistas do Tocantins a participar, até o momento, do programa Ciência sem Fronteiras (CsF)

O estudante brasileiro de Engenharia, Allan Valentim Melo de Souza, recebeu o prêmio de Embaixador Internacional Estudantil na National University of Ireland. Segundo o governo irlandês, a premiação homenageia estudantes que se destacaram por sua contribuição em atrair estudantes estrangeiros a estudar na Irlanda.

Souza foi um dos 170 bolsistas do Estado do Tocantins a participar, até o momento, do programa Ciência sem Fronteiras (CsF) e recebeu uma bolsa de 14 meses na instituição.

A cerimônia de premiação aconteceu no final do primeiro semestre letivo de 2015, na casa oficial de encontros e eventos do governo irlandês, a Farmleigh House, onde os embaixadores receberam certificado pelas mãos da ministra de Educação da Irlanda, Jan O'Sullivan.

No evento, estiveram presentes também os embaixadores de países como Índia, China, EUA, Inglaterra, Japão, Turquia, Brasil e outros.

Allan foi um dos quatro estudantes do Centro Universitário Luterano de Palmas (CEULP)

selecionados para o Ciência sem Fronteiras e seu relato sobre a experiência no exterior ressalta a transformação possibilitada pelo programa.

"Sempre tive o sonho de viajar para o exterior e de fazer um intercâmbio fora do Brasil.

Quando eu soube do CsF, comecei a me preparar para isso. Eu já estava estudando inglês e aproveitei a oportunidade para intensificar ainda mais meus estudos e manter um bom nível na universidade", conta.

Além dos 12 meses como estudante da universidade irlandesa, Allan também pode realizar, por dois meses, estágio no Departamento de Ciências da Terra e dos Oceanos da instituição.

"O trabalho foi realizado no Laboratório do Grupo de Estudos em Inclusões Geofluidas, sob orientação da pesquisadora Alessandra Costanzo. No meu projeto estávamos estudando inclusões fluidas em rochas e gemas do Malawi, na África".

Sobre o futuro, Allan conta que pretende dar segmento à pesquisa iniciada no estágio do CsF. "Fui convidado pela Dra. Alessandra a fazer parte do quadro de doutorandos do grupo e, juntos, elaboramos um projeto de doutorado pleno no exterior".

Ciência sem Fronteiras

Lançado em dezembro de 2011, o Ciência sem Fronteiras busca promover a consolidação, expansão e internacionalização da ciência e tecnologia, da inovação e da competitividade brasileira por meio do intercâmbio e da mobilidade internacional. A iniciativa é fruto de esforço conjunto dos Ministérios da Educação (MEC) e da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) por meio de suas respectivas instituições de fomento – Capes e CNPq.

Além disso, busca atrair pesquisadores do exterior que queiram se fixar no Brasil ou estabelecer parcerias com os pesquisadores brasileiros nas áreas prioritárias definidas no programa, bem como criar oportunidade para que pesquisadores de empresas recebam treinamento especializado no exterior. Dados do programa podem ser consultados no Painel de Controle do CsF.

Fonte: Portal Brasil, com informações da Capes

#internacional