Buscar

Canoísta brasileira fica entre as 10 melhores do mundo


Brasil teve 11 atletas disputando todas as cinco categorias no evento, mas somente Ana Sátila avançou das classificatórias Divulgação/ Ministério do Esporte

A canoísta Ana Sátila conquistou o nono melhor tempo na final no C1 Feminino neste domingo (20) no Mundial de Canoagem Slalom, em Londres. A atleta percorreu o trecho de quase 300m em 147.84 segundos. A favorita da disputa, a australiana Jessica Fox, levou o ouro (113.51s), seguida pela tcheca Katerina Hoskova (118.42s) e pela espanhola Nuria Vilarrubla (121.55s).

“Foi uma prova complicada. O percurso é igual ao disputado no K1, mas eu treino muito mais no K1. Mesmo assim estou contente com o meu resultado”, disse a atleta.

Para o auxiliar técnico da equipe brasileira, Guille Diez-Canedo, a canoísta está no topo do esporte. “Ela está remando bem e há muito tempo faz parte do seleto grupo das melhores do mundo”, comenta o ex-atleta. “Nos baseamos nos tempos parciais das outras competidoras na hora da prova. Avaliamos os erros que tiveram e repassamos a

Ana para ela não repetir o mesmo”.

O Brasil teve 11 atletas disputando todas as cinco categorias no evento, mas somente Ana Sátila avançou das classificatórias. Nessa próxima semana a equipe retorna ao Brasil depois de quase dois meses em competições pela Europa. O próximo desafio já está marcado: 3ª Etapa da Copa Brasil que acontecerá em Três Coroas, no Rio Grande do Sul, entre os dias 2 e 4 de outubro.

Recordações

O Lee Valley White Water Centre, local onde está sendo realizado o Mundial 2015, é um local de recordações para a canoísta Ana Sátila. Ela desceu a primeira vez nessa pista em 2012 quando foi a representante mais nova do Brasil na edição dos Jogos Olímpicos. Na época com apenas 16 anos obteve a 16ª colocação geral.

Somente neste ano, nos Jogos Pan-americanos no Canadá, a atleta conquistou duas medalhas: uma de ouro no C1 Feminino e outra de prata no K1. Já na primeira etapa da Copa do Mundo em Praga, na República Tcheca, outro feito inédito: bronze pelo C1 Feminino. Em casa, no mês de abril, durante o Mundial Sub-23, realizado em Foz do Iguaçu, no Paraná, a mineira garantiu a prata pelo K1.

Canoagem Slalom

Depois de cinco dias de prova, em evento que reuniu 61 países, na briga pelo K1 Masculino o tcheco Jiri Prskavec foi o melhor e terminou a prova com um tempo de 88.99 segundos. Mateusz Polaczyk da Polônia (89.43s) e Michal Smolen dos Estados Unidos (92.01s) conquistaram a prata e o bronze, respectivamente.

Além de eleger os novos campeões mundiais, foram classificados 15 países da categoria para os Jogos Olímpicos.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério do Esporte

#esporte