Buscar

Juventude conectada para mudar o País


Aplicativo reunirá propostas para próxima Conferência Nacional de Juventude; inovação do governo federal pretende incrementar participação social

Lançado pela Secretaria Nacional de Juventude (SNJ), o aplicativo da 3ª Conferência Nacional de Juventude (prevista para ocorrer em dezembro, em Brasília) permitirá que qualquer jovem a partir de 15 anos faça propostas a serem debatidas durante o evento. “Por meio dele, a gente vai eleger 600 delegados e 305 propostas (...)”, explica o secretário nacional de Juventude, Gabriel Medina, em depoimento exclusivo ao Portal Brasil.

Para Medina, a iniciativa do governo federal inova nos métodos de participação social e estimula a juventude a ingressar na construção de um País melhor.

“Nós vamos utilizar a internet como uma ferramenta de diálogo, de potencialização de ações locais, enfim, de ativar toda uma rede de jovens que já namora pela internet, que já se encontra”, disse. “Esse jovem vai poder utilizar desse aplicativo para poder também falar o que ele espera do seu bairro, o que ele espera da sua cidade, da sua escola”, acrescentou Medina.

De acordo com o secretário, as manifestações nas ruas expuseram uma juventude que se apoia amplamente na internet. “Nós estamos muito animados (...), A gente acha que pode ser uma baita conexão (...) para mostrar que o governo federal precisa inovar nos seus métodos de participação”, comemorou. “E, com essa inovação, a gente espera conseguir trazer mais gente para perto e conseguir aperfeiçoar as nossas políticas e programas (...)”.

Etapas inovadoras

Em entrevista exclusiva ao Portal Brasil, Carla Bezerra, coordenadora da equipe técnica da 3ª Conferência Nacional de Juventude, explicou como as etapas do aplicativo estão cotejadas. Segundo ela, serão extraídas as 99 propostas de maior aceitação no intuito de compor a agenda da juventude para o Brasil.

“Agora, ele está na fase de propostas: qualquer pessoa pode entrar, cadastrar sua proposta e comentar”, explicou. “Na seguinte, é a fase de aplauso, em que as propostas começam a ser hierarquizadas pelas mais comentadas, mais curtidas, mais seguidas”, concluiu.

João Carlos de Paula, representante no Distrito Federal (DF) da União Marista do Brasil (Umbrasil), manifestou-se otimista em relação à possibilidade de que o aplicativo possa ser utilizado doravante.

"Ele é tão interessante, porque, depois da Conferência, você vai poder acompanhar as propostas que foram aprovadas (...)", elogiou. "Portanto, se liga aí, o aplicativo não é só para a Conferência: é para depois dela também."

Fonte: Portal Brasil, com informações da Secretaria Nacional de Juventude

#cultura