Buscar

Google expande bolsas aplicadas no Brasil para América Latina


O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aldo Rebelo, participou do lançamento do programa de Bolsas de Pesquisa Google para a América Latina (Google Research Awards Latin America), nesta segunda-feira (01). Com investimentos totais de US$ 1 milhão nos próximos dois a três anos, o programa financia pesquisadores da ciência da computação.

"Isso é resultado de um programa piloto que implantamos no Brasil, pelo qual apoiamos projetos na fronteira do conhecimento, e agora estendemos essa chamada à América Latina como um todo", disse o diretor de Engenharia para a América Latina do Google, Berthier Ribeiro Neto.

A iniciativa segue um programa-piloto lançado no Brasil em 2013, por meio do qual o Google apoiou cinco pesquisadores. Agora, a empresa expande o benefício para cientistas da Argentina, Chile, Colômbia e México. Serão custeados de 15 a 20 projetos de pesquisa avançada pelo período de 12 meses, com possibilidade de renovação por dois anos.

"Desta visita ao Centro de Engenharia do Google na América Latina, no Brasil e em Minas Gerais, o que eu quero destacar é a promoção da pesquisa e também a formação de quadros para o grande desafio de manter a tecnologia da informação como um elemento dinâmico da economia, da cultura, do conhecimento e da informação pessoal e empresarial", declarou o ministro.

Para Ribeiro Neto, "o programa complementa esforços do Governo Federal", especialmente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI) e da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes/MEC), ao apoiar pesquisa e capacitação.

O diretor de Engenharia para a América Latina do Google explicou a divisão das bolsas. Do total de US$ 1 milhão para estudantes e orientadores dos projetos – US$ 1,200 mensais são para doutorandos e US$ 750 para seus professores; US$ 750 para mestrandos e US$ 675 para os docentes.

"Nós, quando falamos que vivemos a era do conhecimento, nos referimos ao impacto que as tecnologias da informação criam na vida dos indivíduos e da coletividade", disse Aldo. "Espero que os alunos que tenham acesso a essas bolsas consigam contribuir para a criação de uma vanguarda no País."

Inscrições

As inscrições seguem abertas até 6 de julho, pela página do programa. Após a data, uma comissão interna do Google deve analisar as propostas e o currículo dos candidatos.

Os orientadores ficam encarregados de submeter projetos em nome de mestrandos ou doutorandos. De acordo com o diretor da companhia, a seleção leva em conta três critérios principais: alinhamento com a estratégia da empresa, potencial impacto da pesquisa e qualidade geral do projeto. A previsão é que os vencedores sejam anunciados em agosto.

Fonte: Portal Brasil com informações do MCTI e Google Brasil

#cienciaetecnologia