Buscar

Seleção brasileira de tênis de mesa é convocada para o Pan-Americano


Atletas recebem o benefício do programa Bolsa-Atleta do Ministério do Esporte Divulgação/Min Esporte

O Pan é a principal competição deste ano para a seleção, já que os dois campeões individuais garantem vaga nos Jogos Olímpicos Rio 2016. Por ser o país-sede do evento, o Brasil já tem presença confirmada nas disputas por equipes.

“São escolhas difíceis, pois vários atletas poderiam conseguir colocar o Brasil no topo, mas faz parte da vida do alto nível. Tsuboi e Calderano são os mais regulares e Thiago teve um ótimo ano, com um desempenho de alto nível. O desempenho dele não teve muito reflexo no ranking mundial, pois a maioria dos grandes resultados veio na Liga Francesa”, avaliou Jean-René.

Preparação

Para o treinador francês, é importante tirar a pressão da equipe durante a preparação para o Pan. “Acho que temos dois caminhos para entender um evento como o Pan: um é pensar que é muito importante e nos colocar pressão; o outro é ver que se trata de um evento fantástico e tentar aproveitá-lo. Vamos pegar esse segundo caminho. Sei que eles tiveram uma temporada bem cheia na Europa, então vamos adaptar nossa preparação porque não podemos esquecer desse calendário”, disse.

No masculino, os três selecionados alcançaram grandes resultados na última temporada. Tsuboi foi eleito a revelação da Liga Alemã. Calderano, além da conquista do bronze nos Jogos Olímpicos da Juventude, conseguiu importantes vitórias, incluindo um 3 a 0 sobre o ex-número um do mundo Timo Boll.

Juntos, Calderano e Tsuboi ainda conquistaram a medalha de prata no Aberto do Qatar há pouco mais de dois meses – melhor desempenho histórico das Américas em uma etapa da série Super, a mais importante do Circuito Mundial.

Atuando pelo Istres na primeira divisão francesa, Thiago teve um grande desempenho, derrotando ao longo da temporada atletas como o português Marcos Freitas (10º), o austríaco Robert Gardos (23º), o tcheco Dmitrij Prokopcov (83º) e os suecos Par Gerell (74º), Kristian Karlsson (51º) e Jens Lundqvist (89º).

No Mundial encerrado no último domingo (3), Thiago e Cazuo Matsumoto (115º), que será reserva no Pan, igualaram o melhor resultado brasileiro na história da competição. Juntos, eles alcançaram as quartas de final de duplas masculinas.

O momento também é positivo no feminino. Lin Gui conquistou em abril o título individual do Campeonato Latino-Americano, que, no ano passado, havia ficado com Ligia. Já Carol levou a Copa Latino-Americana em 2014 e tem recebido oportunidades de intercâmbios em algumas das principais potências mundiais da modalidade, como Coreia do Sul e China. Jessica Yamada (194ª) será a atleta reserva da seleção.

“Essa é a equipe mais preparada para obter resultados importantes para o tênis de mesa feminino em Toronto. Todas as atletas alcançaram resultados importantes nos últimos torneios, e isso foi determinante. Para mim, é muito importante ver o desempenho delas nos torneios internacionais, principalmente aqui no nosso continente”, afirmou Hoyama, confiante em um bom desempenho no Canadá.

“Tenho certeza de que, com uma preparação adequada, como a que estamos programando, poderemos alcançar nossos objetivos em Toronto”, completou.

Tênis de mesa brasileiro no Pan

O Brasil já conquistou 29 medalhas no tênis de mesa em Jogos Pan-Americanos, sendo 12 ouros, seis pratas e 11 bronzes. Hugo Hoyama é, inclusive, o recordista de títulos do país considerando todas as modalidades: são dois individuais (1991 e 1995), três nas duplas masculinas (1991, 1995 e 2003) e cinco por equipes (1987, 1991, 1995, 2007 e 2011).

Dos atletas que estarão em Toronto, três já subiram ao pódio em edições passadas. Thiago Monteiro tem seis medalhas, incluindo três ouros – por equipes, em 2007 e 2011, e nas duplas masculinas, em 2003, ao lado de Hoyama. Ele soma ainda uma prata (individual, em 2003) e dois bronzes (por equipes, em 2003, e individual, em 2007).

Gustavo Tsuboi também participou das conquistas por equipes em 2007 e 2011. Além disso, levou a prata nas duplas masculinas em 2003. No feminino, Ligia Silva é a única medalhista: em 1999, foi bronze por equipes.

Fonte: Ministério do Esporte

#esporte