Buscar

MCTI e Nasa dialogam sobre divulgação científica


Com a presença do diretor da Nasa, Charles Bolden, encontro discutiu rumos dos intercâmbios educacionais entre Brasil e EUA

O diretor-geral da agência espacial norte-americana (Nasa), Charles Bolden, compareceu ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) nesta última segunda-feira (23). Ele foi recebido pelo chefe da Assessoria de Assuntos Internacionais (Assin) da pasta, o embaixador Carlos Henrique Cardim.

O encontro teve por objetivo promover um diálogo sobre a popularização da ciência, tecnologia e inovação (CT&I) e intercâmbios educacionais entre Brasil e Estados Unidos. O presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB/MCTI), José Raimundo Coelho, também participou.

"Conversamos sobre áreas que podem ser desenvolvidas futuramente utilizando o conhecimento da Nasa", afirmou Cardim. "Uma das ideias é que, através de instrumentos educacionais, editoriais e museus, usemos esses conhecimentos para a popularização da ciência e divulgação científica no Brasil, com livros, cursos, programas conjuntos e participação de estudantes em programas internacionais estudantis", disse.

Agenda

No período da tarde, na terça-feira (23), Charles Bolden, deu continuidade à agenda de compromissos na passagem ao Brasil, e também reuniu-se com o presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB/MCTI), José Raimundo Coelho, na sede da instituição em Brasília.

No encontro com José Raimundo Coelho, o diretor-geral da Nasa pediu mais informações sobre o funcionamento do programa Ciência sem Fronteiras (CsF).

Charles Bolden falou ainda sobre as novas oportunidades que se abrem para participação do Brasil e de outros países em diversas modalidades de ação na Estação Espacial Internacional (ISS, sigla em inglês) e em projetos de cooperação em diferentes níveis.

Após o encontro na AEB, o diretor-geral da Nasa proferiu palestra a uma plateia formada por estudantes de escolas públicas, particulares e da Universidade de Brasília (UnB).

Cooperação

Em 2011, a AEB e a Nasa firmaram dois acordos de cooperação na área espacial: um sobre a participação do Brasil no Programa de Medição de Precipitação Global (GPM) e o outro sobre o lançamento de sondas para o estudo da camada de ozônio.

O primeiro acordo possibilitou ao Brasil acessar dados gerados pela constelação de satélites do GPM, programa dos Estados Unidos com o Japão, criado para monitorar, por meio de satélites, as precipitações na atmosfera, no mundo inteiro, em alta resolução.

Charles Bolden

O major-general reformado Charles Bolden é astronauta e viajou ao espaço quatro vezes entre 1986 e 1994. Duas dessas missões foram comandadas por ele, e uma delas colocou o telescópio Hubble em órbita.

Ele assumiu o posto de 12º diretor da agência norte-americana em 17 de julho de 2009. Seus 34 anos de carreira no Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos incluem 14 anos como membro do Escritório de Astronautas da Nasa.

Bolden liderou o desenvolvimento de um sistema de lançamento de foguetes e da nave espacial de Orion, que levará astronautas para o espaço profundo (galáxias, nebulosas e aglomerados estelares). Na Nasa, criou um departamento para desenvolver tecnologias de ponta.

Sob sua gestão, a agência pousou em Marte o veículo Curiosity, lançou uma nave espacial para Júpiter e aumentou o número de satélites de observações da Terra.

Foto: Divulgação - EBC

Fonte:Portal Brasil com informações do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

#cienciaetecnologia