Buscar

"Nosso sistema energético é robusto, confiável e eficiente", afirmou ministro do MME


Imagem2.jpg

Eduardo Braga apresentou o detalhamento individual das usinas que sofreram desligamento no dia de ontem e medidas para transferência adicional de energia

O ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, anunciou nesta terça-feira (20), medidas que estão sendo tomadas para reforçar as unidades geradoras de energia no País. Eduardo Braga apresentou o detalhamento individual das usinas que sofreram desligamento no dia de ontem com o objetivo de evitar, segundo o ministro, um problema ainda maior.

Braga afirmou que providências já estão sendo tomadas, inclusive com relação à geração de energia adicional de Itaipu, para reforçar o sistema, até que os problemas na Linha Norte-Sul sejam superados. “Esperamos, com as novas unidades e manobras que a ONS adotou, continuar oferecendo com tranquilidade energia à população”, disse.

O ministro anunciou, também, medidas adicionais com o objetivo ampliar a transferência e a alimentação de energia:

- Transferência 300MW de Itaipu através de um sistema de corrente contínua;

A injeção adicional de 400MW para a região Sudeste-Centro-Oeste;

- A ressincronização de Angra 1 com despacho parcial entre 100 e 200MW;

- E a aceleração das obras de manutenção preventiva em equipamentos de energia termoelétrica da Petrobras, que geram 7000MW.

"Temos energia para atender nesses períodos de intercorrência energética. Não foi desligamento por falta de geração. No momento, o sistema está funcionando sem nenhum problema e as medidas anunciadas nos deixarão ainda mais preparados para imprevistos futuros", disse Eduardo Braga.

Eduardo reforçou que o biênio passado foi severo com relação a estiagens. “Os reservatórios entraram em 2015 com baixa capacidade. As chuvas no mês de janeiro foram raras e escassas”.

Contudo, Braga reiterou que a distribuição energética está sendo feita com transparência e que prestará todos os esclarecimentos necessários sobre a atuação do Operador Nacional do Sistema. “Precisamos avançar em eficiência energética, em revitalização de programas de energia de baixa tensão, mas o modelo energético brasileiro é um modelo eficiente”, pontuou.

Situação por regiões

Em uma análise por regiões do País, o ministro afirmou que no “Norte e Sul nós não estamos vivenciando situações tensas já que Itaipu está atendendo muito bem. No Nordeste estamos investindo em energias alternativas, como a Eólica, para acrescentar disponibilidade de energia.

As ações que disse, como manutenção, reformas e construção de novas usinas, já estão sendo efetuadas e visam, ainda, transferências adicionais para as outras regiões e, com isso, estaremos preparados para essas demandas de picos”, concluiu Braga.

Entenda o caso

De acordo com o ONS, na tarde de ontem, restrições na transferência de energia das regiões Norte e Nordeste para o Sudeste, aliadas ao aumento da demanda no horário de pico, provocaram a redução na frequência elétrica.

Por isso, de acordo com o Operador, foi programada redução na faixa de 5% do consumo de energia, para que o controle do sistema fosse garantido.

Para André Pepitone, diretor da Aneel, é importante ressaltar que o fornecimento de energia foi restabelecido em uma hora, o que, segundo ele, prova a robustez do Sistema Interligado Nacional e que todos os equipamentos que buscam manter o controle do sistema funcionaram.

“Ao baixar a frequência, o ONS tomou as medidas corretas, diminuiu a carga, recuperou a frequência e imediatamente o sistema voltou a operar”, disse.

Fonte: Portal Brasil com informações do Ministério de Minas e Energia e Agência Brasil

#politica