Buscar

Banco Central fará “o que for necessário” para que inflação caia em 2015, diz Tombini


O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, comentou o resultado da inflação oficial de 2014, divulgado nesta sexta-feira (9), afirmando que a instituição fará “o que for necessário”, para debelar a resistência de alta no curto prazo.

A taxa, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), fechou o ano de 2014 em 6,41%, abaixo do teto da meta fixada pelo Banco Central, que era d 6,5% ao ano.

“O Banco Central reafirma que irá fazer o que for necessário para que, neste ano, a inflação entre em longo período de declínio, que a levará à meta de 4,5% em 2016”, firmou Tombini por meio de nota, divulgada no site do BC.

Segundo o presidente da autoridade monetária, o patamar de inflação registrado em 2014 reflete, em grande medida, “a ocorrência de dois importantes processos de ajuste de preços relativos ora em curso na economia brasileira, o realinhamento dos preços domésticos em relação aos preços internacionais e o realinhamento dos preços administrados em relação aos preços livres”.

Desta forma, a inflação média em 12 meses do governo Dilma seria a mais baixa desde o Plano Real.

Foto: Arquivo Agência Brasil

Fonte: Portal Brasil com informações do Banco Central

#economia