Buscar

Embrapa firma acordo para o avanço da mamona no Brasil


A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Algodão assinou na semana passada um contrato de pesquisa para o avanço da cultura de mamona no Brasil com a Evogene, companhia israelense líder em genômica vegetal, por intermédio de sua subsidiária Evofuel. Inicialmente, a cooperação focará no desenvolvimento de tecnologias para o controle de doenças específicas da mamoneira, bem como, em práticas agrícolas para a rotação de culturas entre a mamona e a soja.

O acordo irá reunir a experiência da Embrapa na pesquisa e desenvolvimento de mamona, com as variedades próprias da Evofuel, que são adaptadas para colheita mecanizada e práticas agrícolas modernas. Com isto, os produtores brasileiros terão a opção do cultivo em larga escala da mamoneira com viabilidade econômica e sustentabilidade.

De acordo com o chefe de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa Algodão, Liv Severino, o óleo de mamona está ficando escasso no mercado mundial e a demanda industrial é maior que a capacidade de produção dos principais países produtores. "Atualmente, a mamona é cultivada em aproximadamente 100 mil hectares no Brasil, em áreas que podem aumentar substancialmente a produtividade com a introdução de novas variedades e tratos culturais modernos, como aqueles que têm sido desenvolvidos pela Evofuel nos últimos anos", afirma.

O cultivo de mamona em rotação com a soja (em segunda safra) adotará cultivares de mamoneira da Evofuel após a colheita da safra de soja. A área alvo para o sistema de rotação de culturas está na região do Matopiba (Estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), nas regiões Nordeste e Centro-Oeste do Brasil, onde se estima que cinco milhões de hectares sejam adequados ao plantio de mamoneira.

"A Embrapa tem trabalhado há três décadas na pesquisa e desenvolvimento de mamona no Brasil e alcançou um progresso notável em muitas áreas, incluindo fertilidade, controle de plantas daninhas, controle fitossanitário, agregação de valor a coprodutos e recursos genéticos", diz Liv Severino.

"A parceria com a Evofuel promoverá sinergia entre os parceiros e consolidará nosso compromisso de transformar a mamoneira em uma cultura altamente viável para a expansão da agricultura brasileira", acrescenta.

"Nós temos a alegria de juntar forças com a Embrapa, que já tem uma tremenda história no desenvolvimento de soluções tecnológicas para a agricultura brasileira. Uma necessidade-chave para a adoção da mamoneira é a tolerância das plantas a vários estresses, como as doenças e as ervas daninhas. Nós vemos no largo conhecimento local da Embrapa e dos seus dedicados pesquisadores um grande ativo tecnológico que complementa nossas experiências e conhecimentos, e que nos auxiliará em otimizar e acelerar nossas soluções para os produtores de mamona", declara o gerente geral da Evofuel, Assaf Oron.

A colaboração com a Embrapa já vem ocorrendo há três anos, por meio de sucessivos ensaios em campo das variedades de mamoneiras da Evofuel no Brasil.

Os ensaios demonstraram a sustentabilidade e benefícios econômicos do plantio das variedades da Evofuel como uma segunda safra com a produção de soja, para a produção de matérias primas para a produção de óleo, biocombustíveis e outros usos industriais.

Em março deste ano, a Evofuel anunciou um acordo para a produção comercial de mamona em 2016 com a SLC Agrícola, uma das maiores empresas agrícolas do País.

Sobre a Evofuel

A Evofuel está engajada no desenvolvimento e comercialização de sementes de mamoneira de alta produtividade como uma matéria prima de segunda geração com custo competitivo e sustentabilidade no crescente mercado de biocombustíveis.

Ela construiu seus ativos genéticos de sementes de mamoneira baseando-se em uma ampla coleção de mais de 300 linhagens de mamoneira de mais de 40 diferentes regiões climáticas e geográficas.

Como parte do seu processo de desenvolvimento, a Evofuel aplica métodos avançados de melhoramento genético utilizando ferramentas da genômica vegetal, junto com a sua experiência em tecnologia agrícola, para tornar mais eficiente e sustentável a produção em larga escala de mamoneira.

Estabelecida em 2007 como uma divisão dentro da Evogene, a Evofuel tornou-se uma subsidiária em 2012.

Sobre a Evogene

Evogene é uma companhia líder no melhoramento da qualidade de culturas agrícolas, produtividade e economia para as indústrias de alimentos humanos e animais e biocombustíveis.

A companhia tem colaborações estratégicas com companhias líderes mundiais no mercado agrícola para o desenvolvimento de sementes que aumentam o rendimento e a resistência a estresses abióticos (como tolerância à seca) e bióticos (como resistência a doenças), em grandes culturas como milho, soja, trigo e arroz.

Além disso, a Evogene já trabalhou com produtos químicos e sementes de culturas fornecedoras de matéria prima para biodiesel de segunda geração. Outras informações acesse Evogene.

Foto: Divulgação/Embrapa - Trabalho conjunto focará na pesquisa do controle de doenças e nas boas práticas para a rotação de culturas soja-mamona

Fonte: Portal Brasil, com informações da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária / Rede Mundo

#cienciaetecnologia