Buscar

Brasileiros conquistam Copa do Mundo de maratonas aquáticas


Os brasileiros Allan do Carmo, 25 anos, e Ana Marcela Cunha, 22, conquistaram o título da Copa do Mundo de Maratonas Aquáticas 2014, encerrada nesse sábado (18), nos 10km de Hong Kong.

Para coroar ainda mais a conquista, os dois nadadores subiram ao pódio na prova final. Allan foi prata, atrás do alemão Christian Reichert, enquanto Ana Marcela dividiu o bronze com a britânica Kari-Anne Payne, medalhista de prata nos Jogos de Pequim, em 2008, na estreia da modalidade em Olimpíadas.

Os dois campeões conseguiram um feito único. Allan com o inédito título masculino para o Brasil, e Ana Marcela, agora tricampeã (2010-2012-2014) com o feito de pela primeira vez, um nadador subir ao pódio em todas as etapas do circuito internacional da Fina, todo realizado no percurso olímpico dos 10 mil metros.

Poliana Okimoto repetiu a prata da penúltima etapa, em Chun’an, na China. Poliana perdeu o ouro em Hong Kong na batida de mão com a húngara Anna Olasz. O alemão Andreas Waschburger completou o pódio masculino, com o brasileiro Diogo Villarinho na quarta colocação e o campeão Thomas Lurz, da Alemanha, em quinto.

Nas oito provas da temporada, Marcela obteve cinco medalhas de ouro, uma de prata e duas de bronze. Já Allan terminou a temporada com duas medalhas de ouro, duas de prata e uma de bronze. O Brasil encerrou sua melhor temporada na Copa do Mundo, com 20 pódios: 8 medalhas de ouro, 7 de prata e 5 de bronze.

“A prova foi forte do início ao fim, ao contrário de outras que começa lenta e acelera no final. Termino o ano de forma positiva, com mais um pódio e fecho a temporada com chave de ouro numa prova de alto nível, disputando as primeiras colocações com mais de um adversário de peso e perdendo por muito pouco a medalha de ouro. A prova demonstrou o nível do campeonato, com cada etapa tendo um vencedor diferente. Somente eu venci duas provas, a sexta e a sétima etapas. Só tenho a agradecer esta temporada que ainda não acabou, falta o campeonato brasileiro. E depois é manter o nível para conseguir a classificação para o Mundial de Kazan”, concluiu Allan.

“A temporada foi muito boa, mas como já entrei campeã na última prova, fiquei ansiosa pra saber a minha colocação para fazer história, estar no pódio em todas as etapas. A prova de Hong Kong foi bem mais forte, estilo Cancún ou Setúbal, e pela temporada que fiz estou muito contente. Agora vou tirar umas férias merecidas e depois voltar com tudo para me preparar para a seletiva olímpica, que será no Mundial de Kazan, participando das provas que tiver que participar no ano que vem”, disse Ana Marcela.

Pelo regulamento da Fina, além da obrigatoriedade de competir na última etapa, os atletas só disputam os prêmios do ranking final quando competem em no mínimo seis das oito provas. Allan e Ana Marcela têm direito a um prêmio de 20 mil dólares pelo título. Diogo Villarinho, quarto colocado em Hong Kong, também ficou em quarto na pontuação geral da Copa do Mundo e receberá 5 mil dólares. Entre os brasileiros, um empate alemão na segunda posição entre o medalhista olímpico Thomaz Lurz, campeã da Copa do Mundo em 2013, e Christian Reichert, o único a superar Allan, neste sábado, em Hong Kong.

No feminino, Poliana Okimoto foi a segunda colocada na pontuação, com 92 pontos, mas pelo critério acima ela está fora da disputa porque ficou de fora das três travessias canadenses devido a uma lesão na coluna cervical. A prova de Hong Kong foi a quinta de Poliana, primeira brasileira a vencer a Copa do Mundo, em 2009. Na mesma situação está outro astro presente em Hong Kong: o canadense Richard Weinberg, bronze olímpico em Londres, mas que a exemplo de Poliana, fez em Hong Kong apenas a quinta prova do campeonato, e terminou em nono.

Desta forma, Ana Marcela foi campeã com 149 pontos, seguida por Christine Jennings, dos EUA, 65, e Angela Maurer, da Alemanha, 45. No masculino, Allan levou o título com 121. Thomas Lurz e Christian Reichert marcaram 88; Diego Villarinho, 86; Andreas Waschburger, 71. Samuel de Bona, 20º em Hong Kong, finalizou a Copa do Mundo com 43 pontos.

A Travessia de Hong Kong 2014 contou com nadadores de Alemanha, Austrália, Brasil, Canadá, Cazaquistão, China, China Taipei, Croácia, Equador, EUA, Grã-Bretanha, Holanda, Hong Kong, Hungria, Irlanda, Japão, México, Nova Zelândia, Rússia, Síria e Tailândia”, disse.

Foto: Divulgação/Ministério do Esporte Brasil encerrou sua melhor temporada na Copa do Mundo, com 20 pódios: 8 medalhas de ouro, 7 de prata e 5 de bronze

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério do Esporte / Rede Mundo

#esporte