Buscar

Pesquisador faz balanço do desenvolvimento na Amazônia


Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

Avanços e dificuldades do projeto 'Integrando a Amazônia' foram abordados em debate realizado em Rio Branco (AC)


Os avanços e as dificuldades do projeto Integrando a Amazônia foram abordados em uma mesa-redonda realizada na sexta-feira (25), durante a 66ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), que ocorreu em Rio Branco (AC).


Durante o debate, o presidente daSociedade Brasileira de Matemática (SBM) e pesquisador do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa), Marcelo Viana, informou que a SBM planeja incentivar “a parte menos satisfatória do projeto”: a plena integração das oito universidades à comunidade nacional da área.


“Estamos trabalhando para levar mais professores e, sobretudo, alunos da região a fazerem estágios nos centros mais desenvolvidos do País”, disse Viana.


Outro objetivo destacado é a criação de programas de pós-graduação nas universidades. “Nós partilhamos a ideia de que deve ser promovida a formação na própria Amazônia, para facilitar a fixação dos pesquisadores”, defendeu Viana.


“Na área de matemática, existem dois programas de mestrado, um na UFPA e outro na UFAM, e, há cerca de quatro ou cinco anos, essas duas universidades se juntaram para criar um programa de doutorado”, complementou o pesquisador.


Viana lembrou que, há duas décadas, não havia pós-graduação consolidada na Região Norte. “Então, sou do time dos otimistas que acreditam que, com trabalho e com recursos, que são insuficientes, mas existem, é possível fazer uma mudança muito profunda no cenário da matemática”, previu Viana.


“Temos um doutorado está em construção. Isso quer dizer que daqui a 15 anos nós podemos ver alguém dizendo que Macapá está à altura de Manaus e Belém. Só tem que fazer o dever de casa. Todos nós temos que fazer o dever de casa”, afirmou o pesquisador.


A mesa-redonda da SBPC também teve como palestrantes as matemáticas Flávia Jacinto, da Ufam, Rubia Nascimento, da UFPA, e Simone Delphin, da Unifap, com participação de pesquisadores de outras universidades envolvidas.

Integrando a Amazônia


A iniciativa é organizada pela Sociedade Brasileira de Matemática (SBM) e busca desenvolver e consolidar atividades de pesquisa e pós-graduação na Região Norte.


Previsto para ocorrer de agosto de 2011 a julho de 2015, com apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI) e da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes/MEC), o projeto estimula atividades de pesquisa e ensino de Matemática, nos níveis de iniciação científica e pós-graduação.


O CNPq fornece periodicamente 40 bolsas de iniciação científica para o projeto, distribuídas uniformemente às universidades federais do Acre (UFAC), do Amapá (UNIFAP), do Amazonas (UFAM), do Pará (UFPA), do Oeste do Pará (UFOPA), de Rondônia (UNIR), de Roraima (UFRR) e do Tocantins (UFT).


A cada dois anos, o projeto organiza o Colóquio de Matemática da Região Norte (CMRN), que costuma reunir de 400 a 500 pesquisadores e estudantes de todos os estados da Amazônia. A terceira edição do CMRN ocorrerá em Manaus, de 13 a 17 de outubro.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério da Ciência e Tecnologia / Rede Mundo

#cienciaetecnologia