Buscar

Dunga é apresentado como o novo técnico da Seleção Brasileira


iDivulgação/CBF

Técnico da campanha da Copa do Mundo de 2010 volta ao comando da Seleção e promete trégua com a imprensa


Dunga está de volta à Seleção Brasileira. Na manhã desta terça-feira (22) o ex-jogador campeão mundial em 1994 e técnico do time nacional na Copa de 2010 foi apresentado como novo treinador do time nacional.


Em sua apresentação, Dunga agradeceu o convite para voltar a trabalhar com a Seleção Brasileira e levantou uma "bandeira branca" com a imprensa esportiva.


"Vocês me conhecem e sabem que dificilmente uma pessoa muda, principalmente em seus princípios. Mas eu sou um ser humano e sei que tenho de melhorar com o contato com as pessoas e vocês, jornalistas. Na primeira passagem foquei muito mais dentro de campo, com os resultaos. É normal que eu tenha de aprimorar meu relacionamento com a imprensa e essa foi a reflexão que fiz nesses anos", afirmou o treinador que também disse estar aberto a críticas e sugestões para aquilo que for melhor para a Seleção.


Dunga assumiu o comando da Seleção Brasileira logo após a desclassificação nas quartas de final da Copa do Mundo de 2006, para a França. Sob seu comando, a Seleção venceu a Copa América de 2007, a Copa das Confederações de 2009 e se classificou com folga para a Copa de 2010. Na

iDivulgação/CBF

África do Sul, porém, a Seleção também ficou pelo caminho e acabou eliminada pela Holanda, também nas quartas de final.


"É um inicio de trabalho apesar de a CBF estar neste planejamento há dois anos e vamos dar sequência. A partir desta Copa de 2014 não podemos dar tudo como terra arrasada. Temos coisas boas para aproveitar e coisas para modificar", afirmou o novo treinador.


Durante seus quatro anos em frente a Seleção, ele disputou 60 jogos com o time principal, obtendo 42 vitórias, 12 empates e seis derrotas, com 76,7% de aproveitamento.


Dunga disse que agora eles vão atrás de jogadores pensando no que eles são capazes de fazer ao curto e médio prazo, e não pensando o quanto ele pode jogar em dez anos.


“Não podemos vender uma ilusão ao torcedor dizendo que as coisas serão conquistadas de um dia para o outro. Eu não vou vender um sonho, sim uma realidade, e a realidade dá muito trabalho”, disse o novo técnico.


Questionado sobre o futebol arte e se a Seleção pode recuperar o futebol das décadas passadas, Dunga foi assertivo. “Não podemos comparar o futebol lá atrás com o agora. Não podemos ter um Pelé a cada dia. O Pelé é um mito. O Brasil tem jogadores de grande talento, mas temos que aliar o comprometimento com o trabalho e o equilíbrio emocional”.


Dunga foi o único nome revelado pela cúpula da CBF para o time principal. Além do anúncio de Dunga, o coordenador de Seleções Gilmar Rinaldi afirmou que a seleção olímpica, que tentará o inédito ouro nos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro, será comandada por Alexandre Gallo, coordenador das categorias de base da Seleção.


Rinaldi adiantou que o trabalho atual da equipe será baseada em três pilares, talento, trabalho e planejamento. Ele disse que quanto a desconfiança de algumas pessoas com essas mudanças, ele pediu paciência. “Não adianta ser explicado, isso tem que ser mostrado. Nos deem tempo, no futuro vocês vão nos entender”, prometeu o coordenador.


A Seleção Brasileira volta a campo em setembro, nos amistosos contra Colômbia (5) e Equador (9), ambas nos Estados Unidos. No dia 11 de outubro o adversário será a Argentina, pelo Superclássico das Américas, na China. O último compromisso neste ano será o amistoso contra a Turquia, em 12 de novembro.

Fonte: Portal Brasil / Rede Mundo

#esporte