Buscar

Estação russa de posicionamento global é inaugurada na UnB


Equipamento faz parte de acordo de cooperação para desenvolvimento de pesquisas na área aeroespacial


Foi inaugurada na Universidade de Brasília (UnB) a estação óptica a laser Sazhen-TM-BIS de tecnologia russa. O equipamento faz parte do sistema Global Navigation Satellite System (Glonass), ferramenta de monitoramento terrestre via satélite similar ao norte-americano Global Positioning System (GPS).


Instalada no Centro de Informática (CPD), do Centro de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico (CDT), a estação é responsável por medir distâncias usadas para localizar posições na superfície terrestre. Sua função é melhorar os sinais que chegam ao usuário final e reduzir erros de posicionamento.


"A estação a laser monitora até 20 quilômetros de altitude", conta o diretor do CPD, professor Jorge Fernandes. "Muitos aparelhos já usam os dois sistemas, o GPS e o Glonass", destacou na inauguração da estação, nesta segunda-feira (14).


No mesmo dia, os governos de Brasil e Rússia assinaram memorando de entendimento para instalação de estação do sistema Glonass na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), no Rio Grande do Sul, e no Instituto Tecnológico de Pernambuco (Itep), no campus da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).


A estação do Glonass na UnB é a primeira fora da Rússia e foi instalada no CPD no ano passado como parte de um acordo de cooperação para desenvolvimento de pesquisas na área aeroespacial.


De acordo com o presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB/MCTI), José Raimundo Coelho, "as estações estão sendo instaladas em ambientes universitários e nossa missão, com essas iniciativas, é, além de fazer a calibragem dos satélites Glonass, utilizar os laboratórios para desenvolver muitas outras pesquisas espaciais”.


O reitor da UnB, Ivan Camargo, acredita na expansão da iniciativa no País. “Estamos dando um passo gigantesco na área de ciência e tecnologia. Fico satisfeito, porque esse estudo vai se expandir para outros institutos brasileiros.”


Fontes: Portal Brasil, com informações do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação - Agência UnB / Rede Mundlo

#cienciaetecnologia