Buscar

Brasil e China assinam 32 acordos de cooperação


923991-dilma_chines_mre.jpg

A presidente do Brasil Dilma Rousseff e o presidente da China, Xi Jinping, assinaram, nesta quinta-feira (17), 32 acordos de cooperação em diversas áreas como tecnologia, telecomunicação, sensoriamento remoto, defesa, energia, educação. Na reunião bilateral, a China, por exemplo, finalizou a compra de 60 jatos e aeronaves da Embraer. Também no local, Petrobras e a chinesa State Grid fecharam acordo para linhas de transmissão entre alta tensão na Hidrelétrica de Belo Monte. Os dois chefes de estado ainda aproveitaram a oportunidade para lançar o sistema de busca chinês, Baidu, o segundo maior do mundo, em português.


Em seu discurso após as assinaturas das parcerias, a presidenta Dilma Rousseff lembrou dos 40 anos de harmonia e cooperação entre as duas nações e ressaltou a importância do país asiático na economia brasileira. A China é, desde 2006, o principal parceiro comercial do Brasil. Em 2013, foram trocados US$ 83,3 bilhões entre os países, um aumento de 10% em relação a 2012. Esse valor deverá ultrapassar US$ 90 bilhões neste ano. "Nossas relações desenvolvem-se com velocidade inédita em diversas áreas de cooperação. China e Brasil são as maiores economias em desenvolvimento nos respectivos hemisférios, e cada vez mais integradas”, disse.


Em seguida, a presidenta destacou alguns dos acordos finalizados entre os dois países. Ela lembrou dos benefícios em áreas essenciais para o desenvolvimento de um país como a energética, tecnológica, bancária e elétrica. “Externei ao presidente minha satisfação com a participação de duas empresas chinesas no consórcio liderado pela Petrobras para exploração do Campo de Libra. Também é bem vinda a crescente presença chinesa no setor elétrico brasileiro, por meio da State Grid“, citou, ainda ressaltando que acordos no setor do agronegócio foram executados, visando superar quaisquer limitações técnicas e sanitárias.


Dilma Rousseff também comentou sobre envolvimentos futuros que ficaram acordados no encontro. No local, ficou reafirmado o compromisso em lançar ao espaço o 5º satélite da família Cbers e em aumentar o número de estudantes brasileiros na China por meio do programa de intercâmbio do governo federal. “Fizemos votos de que outras iniciativas desse tipo nas áreas de educação, turismo e esporte contribuam para estreitar laços de amizade e conhecimento mútuo dos povos. Saudamos também, senhoras e senhores a oportunidade de discutir papel ampliado que cabem a China e ao Brasil nos principais temas da agenda internacional”, afirmou


Essa é a primeira viagem do líder chinês para a América Latina desde a sua posse em 2013. Além da reunião presidencial, ainda haverá um encontro ainda nesta tarde do conselho empresarial dos dois países e uma conferência entre Brasil, China, quarteto da Comunidade de Estados Latino-americanos (Celac), México e América do Sul.

Fonte: Portal Brasil / Rede Mundo

#internacional