Buscar

FMT passa a adotar novo medicamento para tratamento de HIV/Aids, que será depois estendido a todo o


A Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), órgão vinculado à Secretaria Estadual de Saúde (Susam), passou a disponibilizar, a partir desta semana, o tratamento para pacientes com HIV/Aids, utilizando a dose tripla combinada (o chamado 3 em 1) dos medicamentos Tenofovir (300 mg), Lamivudina (300 mg) e Efavirenz (600 mg).


O novo medicamento será disponibilizado pelo Ministério da Saúde, inicialmente, no Amazonas e no Rio Grande do Sul, e apenas para os novos casos da doença, ou seja, para pessoas identificadas como soropositivas a partir de agora. Segundo o Ministério da Saúde, gradativamente, o novo medicamento será estendido para os outros Estados e a todos os pacientes de HIV/Aids.


O secretário estadual de Saúde, Wilson Alecrim, destaca que os três antirretrovirais já são disponibilizados no Sistema Único de Saúde (SUS), mas para serem consumidos separadamente. “A oferta desta nova fórmula com dose combinada, num único comprimido, tem o objetivo principal de ampliar a adesão dos pacientes ao tratamento, garantindo a eficiência do esquema terapêutico”, destacou Alecrim.


A diretora-presidente da FMT-HVD, Graça Alecrim, ressalta que a adoção do novo tratamento é uma das ações previstas no acordo de cooperação técnica firmado no último mês de junho entre o Governo do Amazonas e o Ministério da Saúde, para o fortalecimento das ações de controle de HIV/Aids. As ações do acordo de cooperação serão executadas sob a coordenação da FMT-HVD.


“Além da adoção de novos medicamentos e de novos métodos de diagnóstico, também estão contemplados no acordo as atividades de pesquisa e o treinamento de recursos humanos”, frisa Graça Alecrim.


Novos casos – A coordenadora estadual de DST/Aids e Hepatites Virais, médica Silvana Lima, salienta que a adoção do “3 em 1” facilita a rotina dos pacientes que fazem uso dos antirretrovirais. Com a adoção da fórmula combinada, o mesmo tratamento é feito com uma única dose diária. Já testado nos Estados Unidos, França, China e, também, em países da África, o medicamento em dose combinada, diz Silvana Lima, tem uma frequência de efeitos adversos bem menor.


Além da FMT-HVD, o novo tratamento está disponível nas demais unidades que funcionam como referência, com o Serviço de Atendimento Especializado (SAE) em HIV-Aids. Em Manaus, o SAE funciona nas Policlínicas Comte Telles, na zona leste; José Antonio da Silva, na zona norte; Franco de Sá, na zona oeste; e Antônio Reis, na zona sul. No interior, o SAE está estruturado nos municípios-polo de Parintins, Tabatinga, Benjamim Constant, Coari, Tefé e Borba.


O Amazonas tem hoje uma taxa de detecção de HIV-Aids de 29,2 casos por 100 mil habitantes. A taxa no Rio Grande do Sul, o outro Estado que disponibilizará a dose fixa combinada de antirretroviral para o tratamento da doença, é de 41,4 casos por 100 mil habitantes.

Fonte: Agecom / Rede Mundo

#mais