Buscar

Entidades de proteção a crianças e adolescentes discutem criação e fortalecimento de redes contra ex


Com o objetivo de fortalecer a rede de combate à exploração sexual de crianças e adolescentes no Estado do Amazonas, a organização não-governamental Ecpat Brasil e o Instituto de Assistência a Criança e ao Adolescente (Iacas) realizaram, na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), um encontro para discutir e dar apoio a essa Rede. O evento contou com o apoio do deputado estadual Luiz Castro (PPS).



O Iacas, entidade filiada à Rede Ecpat Brasil e à Associação para o Desenvolvimento Integrado e Sustentável (Adies), está promovendo o Seminário Estadual: “Mobilizando e Articulando Ações para o Enfrentamento à Violência Sexual no Amazonas”. De acordo com a coordenadora do Iacas, Amanda Ferreira, o seminário quer chamar a atenção da sociedade, mobilizar e fortalecer as redes de defesa de direitos humanos de crianças e adolescentes, com foco no enfrentamento ao abuso e exploração sexual.



Para o deputado Luiz Castro (PPS) é cada vez mais importante integrar as instituições e pessoas que têm compromisso com a causa da defesa da infância e da adolescência. “É preciso despertar no poder público um interesse maior nessa causa que envolve a violação aos direitos sexuais de uma pessoa. Muitas vezes, essas instituições conseguem avanços, mas também frustrações, principalmente, em relação a orçamento dos poderes constituídos seja federal, estadual ou municipal que é muito pequeno para o combate da exploração sexual de crianças e adolescentes”, disse.



Para a coordenadora da Associação Nacional dos Centros de Defesa da Criança e do Adolescente (Anced), Perla Ribeiro, é importante se mobilizar nacionalmente e buscar garantir os direitos da juventude. Segundo Perla, a missão das Anced tem sido trabalhar junto às redes locais a discussão e a mobilização da sociedade civil frente à violação de direitos civis de crianças e adolescentes. “Essa é uma articulação que agente já vem trabalhando, mas que se intensificou por conta da Copa do Mundo e das preocupações que nós temos, enquanto rede de sociedade civil”, disse ela.



Para coordenadora da Rede Ecpat Brasil, Tiana Sento-Sé, os debates no evento vão girar em torno da criação e fortalecimento de redes de proteção. Segundo Tiana, a articulação “Entre em Campo – Redes Pelos Direitos da Criança e do Adolescente” reúne a Rede Ecpat Brasil, Comitê Nacional de


Enfrentamento à Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes, Associação Nacional dos Centros de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente, Anced/DCI Brasil, Fórum Nacional de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Fndca) e Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (Fnpeti).



De acordo com Tiana, esse é o início de um projeto que o Iacas do Amazonas vai desenvolver na Região Norte articulando as redes da região com o trabalho de enfrentamento da exploração de crianças e adolescentes, discutindo ainda os outros direitos.


Fonte: Aleam / Rede Mundo

#politica